DeAmazônia

MENU
Atualizado em 05/02/2019

Alcolumbre veta Braga, Renan e Jader Barbalho para Mesa Diretora do Senado

Decisão deixou clima mais tenso entre MDB e novo presidente do Senado

Alcolumbre veta Braga, Renan e Jader Barbalho para Mesa Diretora do Senado Eduardo Braga e Renan Calheiros (Foto: Divulgação)

senadora Simone Tebet (MDB-MS), em reunião nesta segunda-feira (04/02), comunicou aos seus companheiros de partido que o novo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), barrou cinco nomes do partido para os cargos na Mesa Diretora: Jader Barbalho (PA), Fernando Bezerra (PE), José Maranhão (PB), Eduardo Braga (AM) e Renan Calheiros (AL). A escolha ocorre nesta quarta-feira (06/02).

 

Com Renan, Alcolumbre protagonizou momentos polêmicos, na última sexta (1º) e no sábado (2), durante sessão para escolher o comandante da Casa durante os próximos dois anos. Após muita confusão, bate-boca e ação judicial sobre se a votação deveria ser fechada ou aberta, o cacique emedebista desistiu da candidatura e o democrata foi eleito.

 

"Isso é inaceitável", criticou Eduardo Braga, enquanto Tebet agiu dando a entender que "é isso ou nada". Para ela, caso não concorde com a proposta, o partido pode ser desidratado, já que muitos membros podem deixar a sigla, inclusive ela. Além dos cinco vetados, o MDB tem mais oito senadores.

 

Em contrapartida, uma ala da legenda defende que seja montado um bloco com o PT, compensando eventuais governistas que se desfiliem. O PT tem seis senadores. Ou seja, pelo critério da proporcionalidade, esse bloco pode ser o maior da Casa. Teria o direito a fazer a primeira escolha para a Mesa e para o comando das comissões.

 

Mas Davi Alcolumbre e Simone Tebet ameaçam formar, então, um grande bloco reunindo o equivalente à maioria absoluta dos senadores para "bater chapa". MDB e PT poderiam ser, assim, totalmente excluídos da distribuição de cargos.// NOTÍCIAS AO MINUTO

Sobe Catracas

SIDNEY COELHO, ex-presidente da CGL

TCE aprovou as contas dele referentes a 2017, quando esteve à frente da Comissão Geral de Licitação (CGL) no Amazonas

Desce Catracas

LUIZ CASTRO, secretário de Educação do AM

Fez dispensa de licitação de R$ 32 milhões da merenda escolar e presidente do TCE mandou cancelar certame