DeAmazônia

MENU
Atualizado em 17/01/2019

CARLOS COSTA #Por enquanto não cometeu crime! Será?

CARLOS COSTA #Por enquanto não cometeu crime! Será?

Mesmo sem ter prestado qualquer explicação ao Ministério Público, estranhamente, o ministro do STF, Luiz Fux, suspendeu, liminarmente, qualquer processo de investigação contra o ex-assessor Fabrício Queiroz. Quando retornar do recesso do Judiciário, o ministro Marco Aurélio Melo, analisará a questão e o colegiado decidirá.

 

Ele era o assessor do ex-deputado estadual senador eleito pelo PSL, Flavio Bolsonaro e teria movimentado, segundo o COAF, R$ 1,2 milhões em sua conta da ALE/RJ. Acontece que o próprio STF decidiu que não existe imunidade parlamentar para movimentação financeira atípica, investigada pelo COAF. Só para deputados para pronunciamentos em mandatos ou em decorrência deles.

 

Justificando que teria movimento atípico na conta que mantinha na Caixa Econômica Federal, recebi vários telefonas para que eu explicasse como teria aparecido dinheiro, também considerado movimentação atípica, da venda de um imóvel quitado que recebi pela própria CEF, via depósito. Mesmo assim, prestei esclarecimentos e me deixaram em paz. Qual a diferença existiria entre mim e o ex-assessor do senador Flavio Bolsonaro? Seria apenas por ele ser o filho do presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro? 

 

Talvez, mas a decisão não é definitiva. O ministro Marco Aurélio Melo foi designado para analisar a questão que ainda pode ou não ser revestida em favor da apuração total de toda a movimentação financeira atípica do "fazedor de dinheiro" com a compra e venda de carros.

 

A dúvida é como ele teria vendido tantos carros para os membros de sua própria família e recebido. Será que o comprador de automóveis avariados, recuperado declarou o valor ao IR? Se declarou, menos mal. O senador eleito Flávio Bolsonaro, não prestou qualquer esclarecimento e foi quem pediu a suspensão da investigação.

 

Está muito estranho!

*O autor é Jornalista*

Sobe Catracas

CAIO JOBIM, professor da rede pública de Manaus/AM

Com metodologia norte-americana, criou o 'Clube do Livro', em escola de Manaus, com o objetivo de incentivar o hábito da leitura entre estudantes do Ensino Médio

Desce Catracas

TARCÍSIO ROSA, presidente da Eletrobras Amazonas

Irritação de consumidores, com má prestação de serviços, é tanta que usuário se descontrolou e quebrou computador e mesas em escritório da empresa