DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/01/2019

DPE apresenta programa à Susam que agiliza atendimento e evita ações na Justiça

Proposta prevê a desjudicialização de demandas de Saúde

DPE apresenta programa à Susam que agiliza atendimento e evita ações na Justiça defensor público geral, Rafael Barbosa se reuniu com o vice-governador e secretário de saúde, Carlos Almeida. Foto: divulgação

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE/AM) apresentou nesta quinta-feira, 10, um programa à Secretaria de Estado da Saúde (Susam), que agiliza a resolução de demandas da população carente e reduz o volume de ações no Poder Judiciário. O Procedimento Extrajudicial de Saúde (PES) é um sistema online que viabiliza a comunicação direta entre as instituições, promove a desjudicialização e economia de recursos públicos com a extinção do uso de papel, gastos com combustível, veículos e pessoal para levar documentos, além de eliminar a sobrecarga no protocolo da secretaria.

 

Para o defensor público geral do Estado, Rafael Barbosa, o PES é uma solução adequada para a conciliação de demandas da Saúde que, sem resposta, resultam no ingresso de ações na Justiça. “É vantajoso para o assistido da Defensoria e para o Estado. Esse programa visa simplificar a relação e o diálogo entre a Defensoria e a Susam, que sempre foi para atender a população que precisa dos serviços de saúde. O objetivo é fazer com que essa parceria possa atender melhor a população que precisa de atendimento, além de gerar economia, melhorar o serviço oferecido e até abranger mais pessoas dentro do serviço de saúde. O vice-governador e secretário estadual de Saúde Carlos Almeida Filho tem visão ampla e sensível a isso e quer desburocratizar esse processo usando a tecnologia a serviço da população”, explicou.

 

Carlos Almeida Filho destacou que a desburocratização é uma meta do atual governo e que o PES é uma excelente ferramenta para alcançar esse objetivo. “A desburocratização é uma política do governo atual, bem como a extinção das comunicações via papel. O caminho através de um protocolo interinstitucional entre a Defensoria e a Susam, como o PES, para o recebimento de demandas, de forma a facilitar o fluxo e evitar a judicialização, é extremamente importante”, disse o vice-governador e titular da Susam, ressaltando que mais de 790 comunicações de demandas de saúde foram feitas, em 2018, pela Defensoria, pedindo soluções à Susam, mas nem metade chegou a ser respondida. “Muito provavelmente isso ocorreu por conta da burocracia, desajustes de protocolo e demora gerada pelo fluxo de papel. O PES facilitará as comunicações e possibilitará, inclusive, um controle da política pública de saúde evitando que situações reportadas continuem sem resposta”, ponderou.

 

Formalização

A parceria entre a DPE e a Susam será firmada por meio de termo de cooperação técnica em data a ser definida. Embora ainda não tenha sido implantado, Rafael Barbosa já considera o PES um avanço significativo para resolver conflitos da saúde e agilizar o atendimento do cidadão. “O sistema está pronto para ser instalado e vai facilitar o controle por parte da Defensoria e Susam dos processos que estão tramitando e o mais importante, desjudicializar essa demanda. Esse será um ganho gigantesco que vamos sentir nos próximos meses”, disse.

 

Rafael ainda explicou que, por meio do PES, o defensor público poderá fazer petições com mais celeridade, sem precisar impetrar ações no judiciário para que um cidadão à espera de procedimento de saúde ou medicamento, seja atendido. O software está baseado na solução de conflitos e depois de implantado poderá fazer com que uma resposta que levaria várias semanas seja obtida até no mesmo dia.

Sobe Catracas

CAIO JOBIM, professor da rede pública de Manaus/AM

Com metodologia norte-americana, criou o 'Clube do Livro', em escola de Manaus, com o objetivo de incentivar o hábito da leitura entre estudantes do Ensino Médio

Desce Catracas

TARCÍSIO ROSA, presidente da Eletrobras Amazonas

Irritação de consumidores, com má prestação de serviços, é tanta que usuário se descontrolou e quebrou computador e mesas em escritório da empresa