DeAmazônia

MENU
Atualizado em 03/01/2019

PM prende três homens acusados de tráfico de drogas em Parintins

As prisões aconteceram no bairro Itaúna 2; mais de 60 trouxinhas de entorpecentes foram encontradas com os suspeitos

PM prende três homens acusados de tráfico de drogas em Parintins Os acusados foram detidos no 3º DIP (Foto: divulgação/PM Parintins)

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - A Força Tática do 3° Distrito Integrado de Polícia (DIP) de Parintins prendeu três homens, na tarde desta quarta-feira (2/1), acusados de tráfico de drogas, na avenida Geny Bentes, no bairro Itaúna 2, no município. Os suspeitos, identificados como Alexander da Silva Marques, 18; Francivan da Silva Paiva, 19 e Salomão Batista Ribeiro, 27, estavam em posse de 27 trouxinhas de oxi e duas porções de maconha tipo skank.

 

A Polícia identificou Alexander e Francivan em uma motocicleta modelo Honda Fan, de cor vermelha, placa OAJ – 7621, por volta de 16h. Assim que avistaram a viatura empreenderam fuga sem motivo aparente mas foram alcançados pelos militares.

 

Com eles a polícia encontrou 27 trouxinhas de substância entorpecente análoga à Oxi e 02 Porções de substância possivelmente skank.

 

O outro acusado, Salomão Batista, ao perceber a viatura jogou uma porção de maconha e se escondeu em sua residência.

 

A Polícia também abordou Salomão e fez buscas no quarto dele onde encontrou 40 trouxinhas de Oxi, 01 porção de skank, 01 porção de substância pasta base de Cocaína, 01 porção de pedra Oxi, 01 porção de cocaína, uma balança de precisão, 70,00 reais em dinheiro e um aparelho Celular J5 cor rosa.

 

Salomão também foi conduzido ao DIP junto com os dois primeiros acusados, onde foram apresentados com todo o material ilícito encontrado para os procedimentos cabíveis.

Sobe Catracas

FÁBIO CAVALCANTI, jogador de dama

Amazonense foi destaque em Campeonato Nacional de Jogo de Dama e conquistou medalha de bronze na competição, em Maceió

Desce Catracas

WLADMIR COSTA, ex-deputado federal pelo Pará

Justiça Federal condenou ele e o irmão, Mário Sérgio Costa, superintendente do Incra, a perda dos direitos políticos, por usarem órgão para promoção pessoal