DeAmazônia

MENU
Atualizado em 04/12/2018

Visitação cresce 59% e espaços culturais vivem novo momento no Amazonas

Por causa, das férias janeiro foi o mês que recebeu maior número de visitante: 45 mil visitantes

Visitação cresce 59% e espaços culturais vivem novo momento no Amazonas Centro Cultural Palácio Rio Negro. (Foto: Divulgação)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O ano de 2018 marca um novo momento para os espaços culturais do Amazonas, como teatros, museus, centros culturais, bibliotecas e galerias. A procura aumentou, em média, 59%, resultando num número superior a 170 mil visitas aos locais administrados pelo Governo do Estado, através da Secretaria de Estado de Cultura (SEC). Por iniciativa do governador Amazonino Mendes, estes espaços foram abertos para visitação diária. Antes, eles não funcionavam todos os dias.

 

Outra frente de trabalho do governador foi quanto à segurança destes espaços para evitar que se repetisse a tragédia que aconteceu no Museu Nacional, no Rio de Janeiro. Por isso, Amazonino determinou a participação da SEC na Ação Nacional em Defesa do Patrimônio Histórico, promovida pelo Ministério Público do Estado, entre outros órgãos. A ideia da Ação é traçar um diagnóstico dos prédios e acervos históricos, e definir ações e estratégias prioritárias para a preservação do patrimônio histórico amazonense.

 

Entre as principais atrações administradas pelo Estado estão o Museu da Numismática, Pinacoteca, Museu da Imagem e do Som, Museu da Arqueologia, Museu Tiradentes, Museu do Homem do Norte, Museu Casa Eduardo Ribeiro, Museu do Seringal e Museu do Teatro Amazonas. A estimativa da SEC é que a maioria, pelo menos 52% dos visitantes, seja formada por amazonenses que despertaram o olhar para estes espaços.

 

Com a proximidade das férias escolares e a chegada de mais turistas nacionais e estrangeiros, a expectativa é que a procura aumente ainda mais. Tradicionalmente, o mês de janeiro é o que apresenta os maiores índices de visitação. Foram 45.701 somente no primeiro mês deste ano.

 

Conheça os espaços:

Teatro Amazonas

 

 

Um dos principais cartões-postais de Manaus, dispõe de um museu, criado com o objetivo de mostrar peças raras e equipamentos utilizados em tempos mais antigos. Com acervo histórico e artístico, o museu contém objetos de uso pessoal de artistas, como as sapatilhas dos bailarinos Margot Fonteyn, Marcelo Mourão Gomes, Ana Laguna e Mikhail Baryshinikov, além de vasos de porcelana, jarros ingleses, escarradeiras holandesas em porcelana, lâmpadas de 1896 e materiais como programas de espetáculos do final do século 19. São 923 peças expostas e 130 em reserva técnica, organizadas conforme padrões modernos e guias bilíngues. A visitação é gratuita de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos e segundas, das 9h às 14h.

 

Pinacoteca

Fundada há mais de 60 anos, conta, atualmente, com cerca de 300 obras de artistas do Brasil e de outros países, das quais 105 são amazonenses. Funciona com outros quatro museus no Palacete Provincial, localizado na Praça Heliodoro Balbi, conhecida como Praça da Polícia, no Centro, zona sul de Manaus. O local tem acessibilidade para deficientes físico, visual e auditivo.

 

Museu Tiradentes

Um dos mais visitados de Manaus, o local conta a história da Polícia Militar do Amazonas e também funciona no Palacete Provincial. Possui dois salões repletos de raridades relacionadas à trajetória da PM no Estado, como a bandeira levada para a Guerra de Canudos em 1896, comendas, espadas, fardamentos e outros itens.

 

Museu da Imagem e do Som

Inaugurado em novembro de 2000, apresenta um acervo com mais de 200 mil peças, como equipamentos de fotografia, cinema, música, televisão, rádio. Raridades como discos de vinil, fitas cassete, películas de vídeo e partituras musicais podem ser encontradas. A mais antiga das 101 câmeras fotográficas de diversas épocas data de 1860.

 

Museu da Numismática Bernardo Ramos

No local, é possível encontrar moedas e cédulas dos cinco continentes, além de exemplares do dinheiro nacional, desde o Brasil Império. Móveis, medalhas, condecorações, selos, cartões-postais, fichas telefônicas, quadros, máquina registradora, máquina de somar, livros, fotografias, documentos, placas, busto, boletins numismáticos e uma pequena biblioteca especializada também fazem parte da coleção, que contém mais de 35 mil peças.

 

Museu de Arqueologia Alfredo Mendonça e Souza

Apresenta a cultura material resgatada na Igreja Matriz de Nossa Senhora da Conceição, artefatos em pedra (líticos) e fragmentos cerâmicos de grupos ágrafos que habitaram Amazonas, no período Pré-Colonial.

 

Tanto o MIS, quanto o Museu de Numismática, o Museu Tiradentes e o de Arqueologia funcionam no Palacete Provincial e estão abertos todos os dias, das 9h às 14h, para visita guiada a todos os espaços, gratuitamente. Estão abertos de domingo a domingo, das 9h às 14h, e o telefone para contato é (92) 3631-6047.

 

Museu Casa Eduardo Ribeiro

Funciona na rua José Clemente, 322, Centro, e possui uma exposição permanente de mobiliário residencial de época, objetos de uso pessoal e de arte que recriam o modo de vida do final do 19 e início do século 20. Também conta com um acervo textual composto por documentos digitalizados, de caráter pessoal e profissional. O local funciona todos os dias, de 9h às 14h, com entrada gratuita.

 

Museu do Homem do Norte

 

 

O conjunto de peças mostra as técnicas de trabalho, o dia-a-dia das populações amazônidas, meios de transporte, habitações, alimentação, festas, artesanato, religiosidade, mitos e ritos, além de importante acervo arqueológico. Também conta com o Cine Silvino Santos, em homenagem ao fotógrafo e pioneiro do cinema na Amazônia. O acesso é gratuito e o funcionamento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h; sábado, das 13h às 20h; e domingo, das 9h às 13h.

 

Museu do Seringal Vila Paraíso

O local apresenta o modo de ser e viver do homem do seringal. Inaugurado em agosto de 2002, mostra a era de ouro do Ciclo da Borracha, com móveis e utensílios que testemunham a riqueza dos seringais no auge da valorização econômica da borracha. Está localizado no igarapé São João, afluente do igarapé do Tarumã Mirim, zona rural, com acesso somente por via fluvial. O museu funciona todos os dias, das 8h às 16h. Informações sobre ingressos podem ser obtidas pelos telefones 99275-4646 e 99603-7086.

 

Centro Cultural dos Povos da Amazônia

 

 

Inaugurado em maio de 2007, é um espaço que visa valorizar, difundir e disseminar as informações geradas e produzidas sobre os países da Amazônia Continental, formada por Bolívia, Brasil, Colômbia, Equador, Guiana, Peru, Suriname, Venezuela e o território ultramarino francês, Guiana Francesa. O local disponibiliza acesso à pesquisa por meio dos acervos localizados no Memorial e Biblioteca Mário Ypiranga Monteiro, Biblioteca Arthur Reis, no Núcleo de Documentação Samuel Benchimol e na Biblioteca Infantil Emídio Vaz D'Oliveira. Aberto de segunda a sexta, das 9h às 16h, aos sábados e domingos, das 9h às 13h. Entrada gratuita. Localizado na avenida Silves, 2.222, Distrito Industrial 1 (antiga Bola da Suframa. Tem acessibilidade para deficientes físico, visual e auditivo. Contato: (92) 3631-4928.

 

Galeria do Largo

O Centro de Artes Visuais Galeria do Largo foi inaugurado no dia 04 de novembro de 2005, durante o 2° Amazonas Film Festival, quando ocorreu uma exposição de cartazes de filmes históricos do cinema nacional, neste espaço cultural. Hoje o lugar recebe exposições de diferentes artistas relacionados às artes visuais, englobando a arte clássica, urbana e contemporânea de artistas da capital e do interior. Aberto de domingo a domingo, das 13 às 19h. Entrada gratuita. Localizado na Rua Costa Azevedo, 290,Centro. Telefone: (92) 3631-4786.

 

Centro Cultural Palácio da Justiça

 

 

Obra centenária, foi concluída no início do século 20 para abrigar o Poder Judiciário. Mesmo sendo um dos principais exemplares da arquitetura clássica do período áureo da economia da borracha, suas linhas estruturais seguem o estilo renascentista. No local, constam exposições de artistas locais, nacionais e internacionais, cinema, teatro, música, júri simulado realizado por estudantes dos cursos jurídicos e visitas guiadas às salas tradicionais do Palácio. Aberto para visitação de segunda a sexta, das 9h às 16h, sábado das 13h às 17h, e aos domingos, de 9h às 13h. Entrada gratuita. Telefone: (92) 3248-1844 Localizado na avenida Eduardo Ribeiro, 901, Centro. Acessibilidade para deficientes físico, visual e auditivo.

 

Centro Cultural Palácio Rio Negro

Construído em estilo eclético, em 1903, para ser residência particular de um abastado comerciante da borracha, o alemão Karl Waldemar Scholz. Em 3 de outubro de 1980, o prédio foi tombado como Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Amazonas sendo, ao longo dos anos, reformado, restaurado e adaptado, mas, em virtude de sua beleza arquitetônica e relevância histórica, foi transformado em Centro Cultural. O local conta com salões para recitais, exposições, lançamento de livros, e diversas atividades culturais. Aberto para a visitação de segunda a sexta, das 9h às 16h, sábados, das 13h às 17h, e aos domingos, das 9h às 13h. Entrada gratuita. Endereço: Av. 7 de Setembro,1546,Centro. Telefone: (92) 3232-4450.

 

Usina Chaminé

 

 

Foi construído em 1910 pela empresa inglesa Manáos Improvements, uma concessionária de serviços de saneamento que foi contratada pelo Governo do Estado. Com características neo-renascentistas, o prédio foi tombado como Monumento Histórico do Amazonas em 1988 e hoje dispõe em sua área interna salas para exposições permanentes e temporárias, além do Espaço Criança com projeção de filmes, oficinas infantis e teatro de fantoche. Em sua aérea externa uma arena para espetáculos. Aberto para visitação de segunda a sexta, das 9h às 16h, sábados, das 13h às 17h, e aos domingos, das 9h às 13h. Entrada gratuita. Endereço: Avenida Manaus Moderna,s/n, Centro. Telefone: 3633-3026.

 

Casa das Artes

Inaugurada em 21 de setembro de 2004, a Casa das Artes tem como objetivo oferecer múltiplas atividades culturais para a sociedade com o intuito de valorizar e criar produções artísticas espontâneas.O espaço também recebe exposições temporárias, e, no mês de dezembro, é transformada na Casa do Papai Noel. Aberto para visitação de domingo a domingo, das 15h às 21h. Entrada gratuita. Endereço: Rua José Clemente Nº 564, Centro. Telefone: 3631-6227.

 

Sobe Catracas

WILSON NOGUEIRA, jornalista e escritor

Lançou livro "Ecossistema da Comunicação" em Parintins, sua cidade natal, e anunciou doação de 1,6 mil exemplares para Biblioteca Municipal

Desce Catracas

BETO D'ANGELO, prefeito de Manacapuru

População protestou contra caos na saúde pública e pede que ele contrate médicos qualificados e tome providências sobre estrutura do Hospital