DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/11/2018

Guilherme de Sá anuncia saída do Rosa de Saron

Integrante da banda de rock católico desde 2001, cantor anunciou saída pelas redes sociais

Guilherme de Sá anuncia saída do Rosa de Saron Guilherme de Sá era vocalista da banda de rock católico. Foto: reprodução

Integrante da banda de rock católico Rosa de Saron desde 2001, o vocalista Guilherme de Sá anunciou que está deixando o grupo. Em um texto no Instagram, o cantor foi poético ao dizer que a despedida é uma fase, mas que o trabalho continua. Ele se vê como" uma pétala caindo, mas a flor permance".

 

"É só uma pétala caindo. A flor permanece. Permanece porque o chão em que habita continua o mesmo. Às vezes, a gente se desprende porque o vento é forte demais. Ou o tempo passou depressa e levou a beleza sem a menor percepção. (...) Sobretudo, é extremamente importante que se entenda que nem todos os caminhos são para todos os caminhantes. E que se veja que nem todos que se foram queriam partir. Nós somos aqueles a quem defendemos. E aquilo que acreditamos. Eu me despeço entre o direito da saudade e o dever da paternidade. Obrigado a todos pelo sonho vivido", escreveu.

 
 
 

 

 

 

 

Formada em 1988, esta não é a primeira vez que a banda muda de vocalista. Tchelão Machado ficou de 1988 a 2000, quando deu lugar a Guilherme Sá. No Instagram oficial, os integrantes do Rosa de Saron reforçaram que o trabalho continua.

"Acima de tudo, gostaríamos de expressar nossa imensa gratidão a cada um de vocês por tanto amor dedicado ao nosso trabalho. A missão do Rosa continua e, mais do que nunca, precisaremos contar com cada um de vocês, pois foi isso que trouxe o Rosa de Saron até aqui, depois de 30 anos, e é só isso que pode nos levar aos próximos 30".

 

 

Fãs lamentaram a decisão nas redes sociais. E até apontaram Renato Vianna, vencedor da terceira temporada do "The voice Brasil", como um possível substituto. // JORNAL EXTRA

Sobe Catracas

UÁLAME MACHADO, secretário de Segurança Pública do Pará

Polícia desvendou em cinco dias chacina ocorrida em Belém, no domingo (19), que resultou na morte de 11 pessoas

Desce Catracas

AFRÂNIO PEREIRA JUNIOR, major da PM aposentado

Secretário de Articulação Política do prefeito de Manacapuru, Beto D'Ângelo, agrediu com socos e chutes, moradores que protestavam por ruas esburacadas