Sexta, 05 de junho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 08/11/2018

MP-AM pede construção de abrigo para crianças e adolescentes, em Borba

O serviço deve atender menores abandonados ou em condições de risco, do município

MP-AM pede construção de abrigo para crianças e adolescentes, em Borba Vista aérea do município de Borba

DEAMAZÔNIA BORBA, AM - O Ministério Público do Estado do Amazonas (MP-AM), pela Promotoria de Justiça de Borba (PJB), ajuizou Ação Civil Pública (ACP) para forçar o Município de Borba a implementar, no prazo de 60 dias, serviço de acolhimento a crianças e adolescentes abandonados ou em condições de risco pessoal.

 

A ACP foi impetrada no dia 06 de novembro de 2018 e demanda, além da destinação de um imóvel em boas condições para o abrigo, a organização de equipe de profissionais, ainda que em caráter provisório, e o funcionamento ininterrupto do abrigo, 24 horas por dia.

 

No caso de descumprimento das medidas, o MP-AM requereu a aplicação de multa pessoal ao prefeito, Simão Peixoto (SD) e à Secretária Municipal de Assistência Social de Borba.

 

"Percebo, com bastante tristeza, que até a presente data, o município Requerido ainda não ofereceu à comunidade os recursos e programas que lhe couberam com o advento da Lei 8.069/90 (Estatuto da Criança de do Adolescente), não contemplando suas crianças e adolescentes carentes com o mínimo necessário em termos de atendimento”, observou o Promotor de Justiça Leonardo Tupinambá do Valle, titular da PJ de Borba.

 

Ante a inexistência de serviço de acolhimento aos adolescentes e crianças abandonadas no Município, o Promotor argumenta que a falta de adoção de políticas públicas que efetivamente garantam os direitos das crianças e adolescentes agrava o problema da evasão escolar e do consumo desenfreado de drogas entre esses jovens, os quais, na opinião do Promotor de Justiça, “terminam por serem abandonados por seus genitores”.

Sobe Catracas

RODRIGO FERNANDES, escritor paraense

Natural de Santarém, venceu concurso da Academia Paraense de Letras e Artes e obra dele ficou em 1º lugar na categoria 'Melhor Livro'

Desce Catracas

ALFREDO MENEZES, ex-superintendente da Suframa

Foi demitido após 1 ano e 3 meses à frente da autarquia, que enfrenta a por crise da história