DeAmazônia

MENU
Atualizado em 11/10/2018

No Senado, Braga reafirma disposição para evitar privatização da Eletrobras Amazonas

Eletrobras Amazonas pode ser privatizada; PL vai ser votada na próxima semana

No Senado, Braga reafirma disposição para evitar privatização da Eletrobras Amazonas Na mesma sessão, Eduardo foi à tribuna agradecer ao povo amazonense pela reeleição (Foto: Agência Senado)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Ficou para a próxima semana a votação do plenário do Senado sobre o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 77/2018, que viabiliza a privatização das concessionárias da Eletrobras. Uma delas é a que distribui energia ao Amazonas. A matéria seria apreciada nesta quarta-feira (10/10), mas não houve quórum suficiente, o equivalente a 41 senadores.

 

Presente à ordem do dia em que poderia ocorrer a votação do projeto, o senador reeleito Eduardo Braga (MDB/AM) reafirmou sua disposição para evitar que ele seja aprovado na Casa. “A luta continua. Esperamos que essa matéria não passe. É necessário rediscutir com o novo governo um novo cenário para o setor elétrico, que seja mais justo e correto para o consumidor e para os trabalhadores que nele atuam” disse o parlamentar amazonense.

 

Agradecimento

Na mesma sessão, Eduardo foi à tribuna agradecer ao povo amazonense pela oportunidade de continuar a defender os interesses do estado na câmara alta do Poder Legislativo. No domingo (07/10), ele conseguiu a reeleição com 607.286 votos, o corresponde a 18,45% do total de votos válidos.

 

“O povo nos possibilitou voltar a esta Casa para que, de forma independente e corajosa, continuemos a atuar em favor o Amazonas e modelos que possam voltar a gerar emprego, desenvolvimento e renda”, disse. “Foi uma eleição desafiadora, em que os demais concorrentes ao Senado honraram o debate e a disputa”, completou.

 

Sobe Catracas

PASTORA LEAL, presidente do TRT/8ª Região

Desembargadora foi homenageada na sede do TST, em Brasília, com medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

Desce Catracas

JARDEL VASCONCELOS, prefeito de Monte Alegre (PA)

Conselho de Ética e Transparência Administrativa Municipal (Copetramma) protocolou pedido de cassação dele na Câmara por suposta fraude em licitação