DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/09/2018

ARTIGO | Fui sacar meu FGTS/PIS, porém já tinham sacado! Qual meu direito?

Advogado Luís Albert | DIREITO DO CONSUMIDOR

ARTIGO | Fui sacar meu FGTS/PIS, porém já tinham sacado! Qual meu direito? Luis Albert, advogado.

Você tem o direito de receber o seu dinheiro de imediato, é dever da instituição bancária. Por muitas vezes, o banco informa que não tem responsabilidade, afirma, “foi em outra agencia”, muitas vezes foi sacado em outro estado.

 

Então informa ao cliente que ele deve aguardar investigação interna, fazer uma contestação, maior “trabalheira”, ora! O cliente não tem culpa de fraude interna, então começa uma verdadeira humilhação, são diversas ligações e idas ao banco sem solução.

 

Neste momento nasce o Direito do cliente a ter seu dinheiro ressarcido bem como receber um valor a titulo de reparação por danos morais, afinal, o dinheiro é necessidade, por muitas vezes representa o alimento do cidadão e de sua família.

 

O descaso apresentado, a falta de solução imediata, o tempo perdido pelo consumidor são punidos pela justiça. Muitos consumidores entram simplesmente em desespero!

 

Em tais circunstâncias, é aplicável ao caso, o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor, que estabelece a responsabilidade objetiva do banco, o que impõe o dever de indenizar os danos materiais/morais, uma vez que o banco deveria trabalhar para impedir a fraude, mas deixou de fazê-lo.

 

E lembrem-se, consulte sempre um Advogado!

Sobe Catracas

MARIA CLÁUDIA ALENCAR, fotógrafa

Manauara é a única fotógrafa brasileira no 22º Circuito Internacional de Arte Brasileira e terá suas fotos expostas na Eslováquia

Sobe Catracas

MAYRA DIAS, miss Brasil 2018

Amazonense atuante na luta pela preservação da Amazônia, foi condecorada nova embaixadora da Fundação Amazonas Sustentável (FAS)

Desce Catracas

NÉLIO AGUIAR, prefeito de Santarém

A poucos dias do Çairé 2018, a praça de Alter do Chão está abandonada e monumentos sem manutenção

Desce Catracas

JOEL LOBO, ex-prefeito do Careiro Castanho

Foi condenado pelo TCU a devolver R$ 200 mil ao Tesouro Nacional por contas julgadas irregulares quando foi prefeito 

BASTIDORES