DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/08/2018

Página de acompanhamento de processos eleitorais é lançada pelo MPE-AM

“Radar Eleições 2018” foi apresentada durante workshop voltado para profissionais e estudantes de Jornalismo

Página de acompanhamento de processos eleitorais é lançada pelo MPE-AM Qualquer pessoa pode ter acesso a informações que permitirão consultar o andamento das ações e representações junto ao TRE. Foto: Divulgação

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O Ministério Público Eleitoral (MP Eleitoral) no Amazonas lançou, nesta quinta-feira (9), a ferramenta Radar Eleições 2018 – uma página disponibilizada para o acompanhamento sistemático das principais movimentações de processos eleitorais apresentados pelo órgão à Justiça Eleitoral, referentes a irregularidades e a crimes cometidos durante as Eleições 2018. A página foi apresentada durante o ‘Workshop MPF nas Eleições 2018’, que contou com a presença de 45 estudantes e profissionais de Jornalismo do estado.

 

Por meio da página http://www.mpf.mp.br/am/radar-eleicoes-2018, localizada no site do Ministério Público Federal (MPF) no Amazonas, qualquer pessoa pode ter acesso a informações que permitirão consultar o andamento das ações e representações junto ao Tribunal Regional Eleitoral no Amazonas (TRE/AM). A cada novidade, a página exibe – por ordem decrescente de datas – informações sobre o caso, como: o número para consulta no sistema de processo judicial eletrônico, um resumo do caso, as pessoas envolvidas e os links para download dos documentos.

 

O procurador regional eleitoral no Amazonas, Rafael Rocha, ressaltou a importância da ferramenta para o trabalho de fiscalização das eleições. “O Radar é uma forma que o Ministério Público encontrou de prestar contas sobre seu trabalho e, ao mesmo tempo, permitir que as pessoas possam acompanhar o andamento dos processos na Justiça Eleitoral. É fundamental que toda sociedade esteja atenta e, na medida do possível, possa ajudar o MPF na fiscalização das eleições 2018”, afirma o procurador.

 

Informação qualificada

O Workshop 'MPF nas Eleições 2018' teve como objetivo promover um espaço de diálogo e oferecer informações qualificadas sobre o funcionamento do MP Eleitoral e sobre as principais regras e questões jurídicas que são motivos de dúvidas no trabalho de cobertura das eleições. O evento foi conduzido pelo procurador regional eleitoral no Amazonas, Rafael Rocha, que abordou, em quatro blocos, temas como organização, funções e tramitações de denúncias no MP Eleitoral; tipos de irregularidades, crimes e processos eleitorais; regras da propaganda e calendário eleitoral 2018; e fake news nas eleições deste ano. Ao final de cada bloco, os participantes puderam fazer perguntas e tirar dúvidas sobre os temas apresentados pelo procurador eleitoral.

 

Para o assessor de comunicação do MPF no Amazonas, Raphael Cortezão, o evento é uma oportunidade para profissionais e estudantes da área de comunicação ficarem atualizados sobre como atuar nas questões eleitorais. “O workshop para jornalistas é uma forma de contribuirmos para o aprimoramento do trabalho da imprensa, oferecendo aos repórteres, produtores e editores informações e ferramentas úteis para auxiliá-los a efetivar o direito à informação dos cidadãos amazonenses de forma qualificada”, comenta o assessor.

 

Estudantes presentes no evento ressaltaram a importância do workshop para aprimorar o conhecimento jornalístico. “Esse tipo de informação é importante para que nós, estudantes, saibamos como atuar nos direitos da sociedade, ainda mais nesse período eleitoral quando o jornalista precisa conhecer as nuances da legislação para fazer matérias inteligentes e informar a população”, afirma Nícolas Marreco, estudante de jornalismo que já atua como repórter.

Sobe Catracas

YTANAJÉ COELHO, professor da rede pública, em Borba (AM)

Educador indígena, da etnia Munduruku, lançou livro intitulado “Canumã: A travessia”, onde relata a história do seu povo 

Desce Catracas

PAULO GUEDES, ministro da Economia

Em entrevista a Globo News, ministro anunciou que vai acabar com incentivos fiscais da ZFM e após repercussão disse que caiu em 'armadilha' de jornalista