DeAmazônia

MENU
Atualizado em 22/07/2018

Clima esquenta entre Mara Maravilha e Lívia Andrade no Fofocalizando

Tudo começou quando Leo Dias exibiu um áudio de Douglas Sampaio

Clima esquenta entre Mara Maravilha e Lívia Andrade no Fofocalizando As duas são apresentadoras do Fofocalizando. Foto: Reprodução

Quem acompanhou o programa Fofocalizando na tarde desta sexta-feira, 20 de julho, atração comandada por Leão Lobo, Mara Maravilha, Décio Piccinini, Mamma Bruschetta (afastada por questões de saúde) e Lívia Andrade, percebeu uma espécie de estranhamento entre Lívia e Mara.

 

Tudo começou quando Leo Dias avisou que Douglas Sampaio havia mandado um áudio sobre a entrevista e colocou ao vivo no ar. O primeiro, era sobre a polêmica, e o outro era um recado para Mara Maravilha. O programa havia exibido uma entrevista com o advogado de Jeniffer Oliveira, atriz que prestou queixa na justiça alegando que Douglas a agrediu.

 

“Acabei esquecendo de falar… Avisa a Mara, que eu sou tão agressivo que ela deu três tapas na minha cara…”. Quando percebeu o recado, Leo finalizou o áudio. Lívia Andrade riu da situação e Maravilha não gostou. Depois pede que a gente respeite, ela deu risada”. Lívia se defendeu: “Eu dou risada mesmo. Programa ao vivo é uma beleza. Eu dou risada mesmo. Cada um pode achar o que quiser. Mas como o programa foi ao vivo. Leo está checando ao vivo e a cores”.

 

“Posso pedir um favor? Providencia uma faca pra cada um porque o programa acabou. Olha, hoje é sexta-feira, meta o pé na jaca no final da semana e segunda a gente se vê”, ironizou Décio Piccinini.

 

“Não providencia não. Fiquem na paz. Um beijo, Douglas, um beijo pra você”, retrucou Mara, que se levantou do sofá e ia sair do estúdio. Um funk começou a tocar, Andrade e Leão Lobo ficaram requebrando aos risos e Mara apontando para cima..

 

Veja o vídeo:

TV FOCO

Sobe Catracas

ANA PAULA DE MEDEIROS, juíza de Direito

2ª Vara do Tribunal do Júri de Manaus, da qual é titular, superou principais metas do CNJ, entre elas o julgamento de processos de feminicídio 

Desce Catracas

GANDOR HAGE, ex-prefeito de Prainha (PA)

Justiça Federal bloqueou mais de R$ 200 mil em bens dele por desvio de verba, destinada ao combate à miséria no município