DeAmazônia

MENU
Atualizado em 17/07/2018

Alunos sem merenda, funcionários sem pagamento e Adail gasta R$ 3,6 milhões com festa

Crianças de Coari gravam vídeo para ‘o Brasil que eu quero’ e cobram merenda

Alunos sem merenda, funcionários sem pagamento e Adail gasta R$ 3,6 milhões com festa Crianças de Coari gravam vídeo para ‘o Brasil que eu quero’ e cobram merenda

DEAMAZÔNIA COARI, AM - O Grupo de Trabalho, composto por dez promotores de Justiça, que atuam em Coari ( 370 quilômetros), querem que o prefeito Adail Filhoi dê prioridades aos investimentos na saúde, educação e ao pagamento de servidores, aposentados e pensionistas da Prefeitura em atraso com salários e 13o. salário. Adail vai gastar R$ 3,6 milhões com a festa do aniversário da cidade, que inclui a contratação de cantores nacionais como Marilia Mendonça, Matheus e Kauan e Luan Santana.

 

Enquanto o prefeito faz gastos milionários na festa da cidade, alunos da comunidade de Iracema, em Coari, com auxilio de uma comunitária gravaram um vídeo reclamando da falta de merenda nas escolas. As crianças gravaram o vídeo para a TV Globo, no projeto o Brasil que eu quero. "Queremos merenda, queremos merenda", diziam os alunos. 

 

Os promotores de Justiça recomendaram que as empresas responsáveis pela contratação dos cantores suspendam a apresentação dos artistas sob pena de eles e os cantores serem interpelados judicialmente com processo de improbidade administrativa.

 

A festa de aniversário de Coari está marcada para o dia 1,2 e 3 de agosto.

 

O MP aponta ainda suspeita de superfaturamento no contrato de artistas. Os promotores já advertiram a imprensa Sentimento Louco Produções e a cantora Marilia Mendonça, por exemplo.

 

“[...] Certos que de que a cantora e sócios da pessoa jurídica dela representante não compactuam com ilegalidades, o Ministério Público conclamou a artista Marília Mendonça e seus sócios, para que colaborem com os órgãos de controle, principalmente levando em consideração a atual realidade do país de superação da corrupção, suplantando esses ciclos negativos, de forma a, já cientes das circunstâncias, rejeitarem a conclusão do contrato[...], diz o Grupo de Trabalho do MP.

 

O Ministério Público já fez sete pedidos de afastamento do prefeito Adail Filho por improbidade administrativa.  A suspeita de diversas irregularidades em contratos e licitações milionárias em Coari.

 

DESCULPA ABSURDA

Em Nota o prefeito de Coari, Adail Pinheiro, faz uma declaração absurda. Ele alega que a falta de pagamentos dos salários de novembro e dezembro de funcionários, aposentados e pensionistas, referente ao ano de 2016, além do 13º salários, no final da gestão de Raimundo Magalhães, que não é divida dele (Adail), mas do ex-prefeito. O prefeito Adail tem justificado ainda falta de dinheiro para quitar as pendências dos servidores.

 

“Uma dívida deixada pelo ex-prefeito de Coari, Raimundo Magalhães, passou a ser o argumento utilizado pelo Ministério Público para buscar impedir a realização das festividades do 86º. Aniversário da cidade pela administração de Adail Filho”, diz o prefeito na nota.

 

 

 

Sobe Catracas

SÉRGIO ANDRADE, cineasta amazonense

Longa-metragem dele "A Terra Negra dos Kawa" vai participar dos dois principais festivais de cinema do país, no Rio e em São Paulo

Sobe Catracas

ANTHONY DE OLIVEIRA, estudante

Aluno de escola municipal de Manaus, conquistou 2º lugar nas Olimpíadas Brasileiras de Astronomia e Astronáutica (OBA)

Desce Catracas

PEDRO GARCIA, ex-prefeito de São Gabriel da Cachoeira

Justiça Federal determinou bloqueio de R$ 540 mil em bens e valores da conta bancária dele por improbidade administrativa 

Desce Catracas

ALESSANDRA BRAGA, delegada de Codajás

Foi presa acusada de envolvimento com tráfico de drogas e corrupção no município 

BASTIDORES