DeAmazônia

MENU
Atualizado em 11/07/2018

Unimed Manaus ganha apoio de GT Interinstitucional para negociar acordo junto a ANS

GT será coordenado pelo Ministério Público Estadual e Defensoria Pública do Amazonas

Unimed Manaus ganha apoio de GT Interinstitucional para negociar acordo junto a ANS Sede da Unimed Manaus. Foto: Reprodução

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A Unimed Manaus presta serviços, atendimento médico e assistencial a mais de 122 mil usuários, gera quase dois mil empregos diretos e injeta, mensalmente, na economia do Estado do Amazonas mais de R$ 30 milhões, entre pagamento de prestadores e fornecedores de serviços e arrecadação de tributos e impostos municipais e federais. Os dados apresentados nesta terça-feira (10/07), pelo presidente executivo da Cooperativa, Sérgio Ferreira, durante audiência pública na Assembleia Legislativa, serviram para demonstrar aos deputados estaduais do Amazonas o tamanho e abrangência da organização, bem como o impacto que sua possível desarticulação teria na economia e na vida das pessoas que dependem direta e indiretamente dela.

 

O dirigente da Unimed Manaus informou que a atual direção, empossada no dia 10 de janeiro, em pouco mais de seis meses, reestabeleceu o vinculo de confiança com médicos, fornecedores, normalizou o atendimento nacional, que estava suspenso na maioria dos estados, e vem buscando o equilíbrio econômico–financeiro, causado principalmente pela dívida tributária, já negociada. Sérgio Ferreira informou que direção da Unimed Manaus, com apoio da Unimed Brasil, trabalhavam junto a ANS, uma saída para os problemas da cooperativa, dentro da legalidade, num prazo de 60 dias, quando houve a decretação da alienação da carteira de clientes, reduzindo a construção dessa solução para um prazo de apenas 30 dias, que vence no dia 25 de julho.

 

Para o deputado Sinésio Campos (PT), autor da proposta de audiência pública, a Unimed Manaus é patrimônio do povo do Amazonas e de Manaus, e que é dever de todos defendê-la, assim como todas as outras empresas de saúde complementar. Ele enfatizou que não é possível permitir a insolvência de uma empresa que somando os empregos diretos e indiretos, gera mais emprego que muita empresa do Polo Industrial de Manaus, e sem receber incentivo fiscal.

 

Sinésio Campos criticou a ausência da ANS na audiência pública, mesmo tendo sido convidada a participar e questionou: “se havia uma negociação em curso, porque a ANS decidiu pela alienação?”.

 

Ele convocou parlamentares, Ministério Público Estadual (MPE), Defensoria Pública do Estado (DPE), Organização das Cooperativas do Estado do Amazonas (OCB/AM),  Programa Estadual de Proteção e Orientação do Consumidor do Estado do Amazonas (Procon-AM), a se juntarem a direção da Unimed Manaus num Grupo de Trabalho, criado com o propósito de obter junto a Agência Nacional de Saúde (ANS), mais prazo para que seja “construída” uma saída mais favorável para usuários, médicos cooperados, funcionários e prestadores de serviços da Unimed.

 

O GT será coordenado pelo Ministério Público Estadual e Defensoria Pública do Amazonas e terá também a participação dos deputados Luiz Castro (Rede), Serafim Corrêa (PSB) e Adjunto Afonso (PDT). A primeira providência do GT, que vai se reunir pela primeira vez, no próximo dia 16 de julho, na sede do MPE, deverá ser a  convocação da ANS para dar mais detalhes sobre o processo de alienação da carteira de clientes da Unimed Manaus e também solicitar um prazo maior para que seja encontrada uma saída coletiva para os problemas enfrentados pela Cooperativa Amazonense. “O assunto precisa ser tratado com cautela, responsabilidade. Vamos convocar a ANS, saber as alternativas possíveis. Sabemos que os problemas são recentes”, afirmou a procuradora Sheila Andrade dos Santos, da promotoria de Justiça dos Direitos do Consumidor.

 

O defensor público geral, Rafael Barbosa, defendeu a formação do GT e disse que na atual conjuntura da Unimed Manaus não cabe mais apenas medidas jurídicas, mas, a situação requer medida política. “As autoridades precisam se unir para dar a ajuda que a Unimed tanto precisa”, afirmou.

 

O deputado Serafim Corrêa, reforçou que a preocupação deve ser de todos e em com as consequências que virão da alienação ou liquidação da Unimed Manaus. “Qualquer coisa que aconteça com a Unimed vai desaguar e agravar o sistema público de Saúde. O que está ruim vai ficar ainda pior, porque o problema não são apenas as mais de 120 mil vidas da Unimed, mas tem ainda os funcionários, cooperados e os usuários dos SUS que serão impactados com chegada de mais gente para usufruir de um sistema já deficitário”, afirmou o parlamentar.

 

Sobre a Unimed – Em 2017, a Unimed completou 50 anos de atuação no mercado de saúde suplementar. A marca nasceu com a fundação da Unimed Santos (SP), em 1967, e hoje é composta por 346 cooperativas médicas, que prestam assistência para cerca de 18 milhões de beneficiários em todo País. Atuando sob o modelo cooperativista, a Unimed conta com mais de 113 mil médicos, 115 hospitais próprios e 2.584 hospitais credenciados, além de pronto-atendimentos, laboratórios e ambulâncias que garantem a qualidade da assistência médica, hospitalar e de diagnóstico complementar prestada aos beneficiários das cooperativas.

 

Sobre a Unimed Manaus –Com 38 anos de atuação, uma equipe médica composta por mais de 850 médicoscooperados e a mais completa rede hospitalar com 6 unidades, sendo 3 hospitais próprios, 90 clínicas, 11laboratórios, Centro de Oncologia, 2 Centros de Diagnóstico e Imagem, Unidade Coronariana com equipe 24 horas, Unidade Neonatal, UTI Pediátrica e Adulto, Pronto Socorro Adulto e Infantil, e 800 consultórios que atendem diversas especialidades.

 

Sobe Catracas

GEORGE LINS, médico urologista

Amazonense tem se destacado em hospital de São Paulo, por realizar procedimentos médicos robóticos

Sobe Catracas

RAMINA SAMOA, professora

Desenvolveu aplicativo 'Triangulo Numérico' para ensinar matemática a alunos de escolas municipais de Manaus

Desce Catracas

ANDERSON SOUSA, prefeito de Rio Preto da Eva

Festa da Laranja 2018, realizada em Rio Preto da Eva, foi um fiasco sem atrações anunciadas 

Desce Catracas

EDSON DE PAULA, prefeito de Barcelos

MP vai investigar suposta compra de título nacional, que ele está entre os "100 melhores prefeitos do Brasil", sem critérios ou documentos pela UBD 

BASTIDORES