DeAmazônia

MENU
Atualizado em 09/06/2018

‘A Justiça tarda, mas não falha’, afirma Braga

Ministro do STF arquivou inquérito contra o senador de suposto recebimento de propina

‘A Justiça tarda, mas não falha’, afirma Braga Eduardo Braga (Foto: Vagner Carvalho)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Após o Supremo Tribunal Federal (STF) arquivar o inquérito que investigava o senador da República Eduardo Braga, por acusações de recebimento de propina na obra da Ponte Rio Negro, o parlamentar disse nunca ter deixado de confiar na Justiça brasileira. “A Justiça tarda, mas não falha”, desabafou Braga, após receber a informação de seus advogados. O ministro Alexandre Moraes concedeu o despacho de arquivamento do processo nesta sexta-feira (08).

 

Braga se disse confiante desde o início da abertura do inquérito por ser a favor de toda e qualquer investigação da Justiça. “Quem não deve, não teme”, declarou.

 

“Por isso, continuo defendendo toda e qualquer investigação, pois, ao final, assim como os culpados devem pagar por seus crimes, os inocentes têm o direito de terem seus nomes limpos e sua honra e integridade restabelecidas perante a opinião pública”, completou.

 

O INQUÉRITO

O inquérito 4429 foi instaurado a partir de delação premiada do ex-funcionário da construtora Odebrecht, Arnaldo Cumplido. Em seu depoimento, Arnaldo afirmou que “ouviu falar”, que o então governador do Amazonas, Eduardo Braga, recebeu propina na obra de construção da Ponte Rio Negro.

 

Em seu despacho, o ministro Alexandre de Moraes informa que, “contudo, todas as informações prestadas pelo colaborador (Arnaldo Cumplido) foram negadas pelas testemunhas por ele indicadas, não se obtendo durante a investigação qualquer indício de autoria ou materialidade das infrações penais apontadas”.

 

Sobe Catracas

YANA GADELHA, lutadora de MMA

Vinda do balé clássico, com apenas 10 meses de treinos, amazonense foi eleita "Revelação do Ano", no prêmio Osvaldo Paquetá, considerado o Oscar do MMA

Desce Catracas

JOCIONE SOUZA, prefeito de Novo Aripuanã

Justiça mandou ele pagar gratificações à professores municipais, atrasadas desde os anos de 2011 e 2012