DeAmazônia

MENU
Atualizado em 16/04/2018

Amazonas tem 400 hectares de lixões e aterros, aponta Luiz Castro

As informações foram apontadas pelo deputado estadual Luiz Castro

Amazonas tem 400 hectares de lixões e aterros, aponta Luiz Castro Lixão a céu aberto de Rio Preto da Eva. (Foto: Reprodução)

No Amazonas existem aproximadamente 395,95 ha de áreas degradadas por lixões e aterros. Desse total constatou-se que 16,67% (66 ha) correspondem ao aterro licenciado (Manaus), 5,07%, (20,09ha) correspondem a aterros controlados (Boca do Acre e Tefé) e 78,26% (309,86 ha) correspondem a lixões a céu aberto.
 
 
 
As informações foram apontadas pelo deputado estadual Luiz Castro (Rede), presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Caama) da Assembleia Legislativa (Aleam) durante o I Simpósio de Resíduos Sólidos, que aconteceu nessa terça-feira (10), em Manaus. 
 
 
 
“As consequências da destinação final de resíduos em áreas sujeitas a possíveis alagações são inúmeras, além da degradação ambiental, o risco de epidemias por doenças de veiculação hídrica que devem ser consideradas”, assinalou o parlamentar.
 
 
 
Com a palestra reciclagem e sustentabilidade, o parlamentar da Rede falou também da Ordem de Prioridade para gerenciamento de resíduos sólidos: a Não geração (ausência de fabricação ou uso de supérfluos); Redução (usar menos); Reutilização; Reciclagem e Disposição Adequada – destinação ao que não podemos reciclar.
 
 
 
“No quesito Tratamento, atualmente, não há  nenhum aterro sanitário verdadeiro no Amazonas. O de Manaus, é mais ou menos controlado, o que não substitui a necessidade  de fazer de cada um fazer seu dever de casa em casa, de separar os resíduos, retirar os excessos e os supérfluos”, afirmou Luiz Castro.

Sobe Catracas

EVERTY SANDRO PEREIRA, delegado de Polícia

Assumiu como novo delegado titular do 3º DIP de Parintins 

Sobe Catracas

GISELE PASCARELLI, advogada

Toma posse hoje (22) como nova desembargadora eleitoral no TRE-AM, em vaga destinada à Classe dos Advogados

Desce Catracas

CHICO DOIDO, prefeito de Iranduba

Votação da CMI que pode cassar mandato dele, por suspoto desvio de mais de R$ 4 milhões, deve acontecer nos próximos dias

Desce Catracas

APARECIDO SILVA, prefeito de Rurópolis (PA)

Justiça do Pará condenou ele a perda dos direitos políticos e a pagar multa de R$ 15 mil, por não prestar contas de convênios federais em 2009

BASTIDORES