DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/03/2018

SESAI realiza em maio nova licitação para empresa atuar na saúde dos DSEIs

Certame nacional visa contemplar os 33 DSEIs;Os Chamamentos Públicos em andamento serão cancelados

SESAI realiza em maio nova licitação para empresa atuar na saúde dos DSEIs  Secretário Especial de Saúde Indígena, Marco Antonio Toccolini

DEAMAZÔNIA BRASÍLIA - A gestão da Secretaria Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde (Sesai/MS), após consulta e debate junto aos povos indígenas, no âmbito do Fórum Nacional dos Presidentes de Condisi – FPCONDISI, que contou com a presença dos presidentes dos 34 Conselhos Distritais de Saúde Indígena (Condisi) e representantes das associações indígenas do Brasil, decidiu, nesta terça-feira (6), acolher as reivindicações dos povos indígenas e realizar um Chamamento Público nacional. O próximo chamamento público para contratação de uma nova Organização Não Governamental (Ong),    que prestará serviço ao Distritos de Saúde Indígena também vale para o Estado do Amazonas, onde o atendimento de saúde atualmente é feito pela  Missão Evangélica Caiuá.

 

O certame único vai selecionar instituições privadas sem fins lucrativos, interessadas em atuar na execução de ações complementares de saúde em áreas indígenas. Com a decisão, todas as Chamadas Públicas realizadas em 2018 serão canceladas.

 

O Chamamento Público visa selecionar instituições beneficentes de assistência social na área de Saúde, com o objetivo assegurar a continuidade da assistência à saúde dos povos indígenas e atender às recomendações dos órgãos de controle externo, no sentido de aumentar a fiscalização e melhorar a qualidade dos serviços e ações de atenção à saúde em áreas indígenas. 


Para o secretário Especial de Saúde Indígena, Marco Antonio Toccolini, o processo de Chamamento Público atende aos dispositivos legais para resguardar a competitividade do certame e  promover maior eficácia, eficiência e controle das ações de saúde destinadas aos povos indígenas.

 

“A Sesai/MS tem se posicionado pelo cumprimento da lei no que se refere à competitividade, transparência e fiscalização do chamamento público. Por isso, aproveitamos a reunião dos presidentes de Condisi (que acontece nesta semana em Brasília-DF) para consultar e ouvir sugestões. Dessa forma teremos um processo seletivo mais justo e atendendo a todos os critérios para promover a atenção integral à saúde dos povos indígenas, que é competência da União”, destacou Toccolini.

 

Para o presidente do Condisi Altamira (PA), Willian Domingues Xakriabá, a busca pelo atendimento integral e de qualidade aos povos indígenas se baseia no diálogo constante com a comunidade indígena brasileira. 
“Ter aceitado as sugestões dos indígenas sinaliza que a Sesai/MS busca o entendimento pleno, amenizando conflitos e possíveis incompreensões. Mas, além disso, demonstra o interesse em reforçar as diretrizes da Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas (PNASPI) e do Subsistema de Saúde Indígena (SasiSUS), que também contempla a manutenção e/ou contratação de profissionais de saúde com experiência comprovada no trabalho com os povos indígenas”, afirmou Xakriabá.

 

O novo Chamamento Público, que deve contemplar 33 DSEIs, está previsto para acontecer até o próximo mês de maio. O único distrito para o qual não haverá chamamento público neste processo é o DSEI Amapá/Norte do Pará, porque para este houve seleção realizada em fins de 2017.

 

Chamamento Público

O Chamamento Público é utilizado para a modalidade de Convênio ou de Contrato de Repasse e a denominação de Concurso de Projetos para a modalidade de Termo de Parceria, mas ambos têm a mesma finalidade de seleção. É um procedimento obrigatório para a seleção de "Entidades Privadas sem Fins Lucrativos/Organizações da Sociedade Civil" que vão atuar em conjunto com a instituição pública.

FONTE: SESAI/MS

Sobe Catracas

LUPERCINO DE SÁ, desembargador

Foi homenageado pela Aleam com a Medalha da Ordem do Mérito Legislativo

Sobe Catracas

SÉRGIO FONTES, delegado da Polícia Federal

Recebeu diploma de "Cidadão Benemérito" pela Câmara Municipal de Manaus

Desce Catracas

ANTÔNIO ROCHA, presidente da Câmara de Santarém

Foi denunciado pelo MPPA na operação Perfuga por crime de peculato e afastado do cargo de presidente da CMS

Desce Catracas

HÉLIO BESSA, ex-prefeito de Tefé

Foi condenado a devolver 2,5 milhões aos cofres públicos por irregularidades em convênios com o Governo do Estado

BASTIDORES