DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/02/2018

Em Roraima, Temer fala sobre paralisação das obras do Linhão do Tucuruí

Presidente Temer foi a Boa Vista, Roraima, tratar da crise migratória de venezuelanos

Em Roraima, Temer fala sobre paralisação das obras do Linhão do Tucuruí

DEAMAZÔNIA BOA VISTA , RR - Em reunião na capital roraimense para tratar da crise migratória de venezuelanos, o presidente Michel Temer comentou a construção do chamado Linhão de Tucuruí, que são linhas de transmissão de energia elétrica entre Manaus e Boa Vista, para incluir Roraima no Sistema Interligado Nacional.

 

As obras estão paralisadas, porque no fim do ano passado a Justiça anulou a licença prévia expedida pelo Ibama para a construção. A decisão foi concedida a partir de um pedido do Ministério Público Federal, que pediu a intervenção judicial porque a linha de transmissão passa pela terra indígena Waimiri-Atroari. A construção é questionada desde 2013.

 

Segundo Michel Temer, a cada momento surge uma nova complicação judicial, o que isola Roraima sob o ângulo da energia.

 

O presidente disse que vai trabalhar com o Ministério da Justiça e a Advocacia-Geral da União para conseguir liberar a obra. Temer também questionou o constante bloqueio feito pelos índios com o uso de correntes na BR 174, que liga Manaus a Boa Vista, para impedir a tráfego de veículos.

 

De acordo com o ministro da Justiça, Torquato Jardim, o caso deve ficar suspenso até que ocorra uma reunião com as lideranças indígenas, marcada para março.

 

O ministro convocou a bancada de deputados e senadores do estado para uma reunião em Brasília. A ideia é pensar em outra forma de ação para resolver o impasse.

COM INFORMAÇÕES DA AGENCIA BRASIL

 

Sobe Catracas

EVERTY SANDRO PEREIRA, delegado de Polícia

Assumiu como novo delegado titular do 3º DIP de Parintins 

Sobe Catracas

GISELE PASCARELLI, advogada

Toma posse hoje (22) como nova desembargadora eleitoral no TRE-AM, em vaga destinada à Classe dos Advogados

Desce Catracas

CHICO DOIDO, prefeito de Iranduba

Votação da CMI que pode cassar mandato dele, por suspoto desvio de mais de R$ 4 milhões, deve acontecer nos próximos dias

Desce Catracas

APARECIDO SILVA, prefeito de Rurópolis (PA)

Justiça do Pará condenou ele a perda dos direitos políticos e a pagar multa de R$ 15 mil, por não prestar contas de convênios federais em 2009

BASTIDORES