DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/01/2018

Juízes tentam impedir, mas TSE abre licitação de compra de impressoras

Entidade reclama que apenas 5% das urnas serão equipadas para imprimir o voto

Juízes tentam impedir, mas TSE abre licitação de compra de impressoras Apenas 30 mil urnas eletrônicas estarão equipadas com impressora Foto: André Dusek/Estadão

SÃO PAULO - Uma liminar protocolada em Brasília tentou impedir o pregão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta sexta-feira, 12, para a compra de impressoras para as urnas eletrônicas. Protocolada pela União Nacional de Juízes Federais (Unajuf), a liminar foi negada na noite de quinta-feira e o pregão acontece nesta sexta.

 

Nesta manhã, houve um pequeno protesto com faixas na frente do tribunal contra a licitação. Os manifestantes dizem que a impressão do voto “é obrigação legal, não uma concessão do TSE”. Em nota, o tribunal disse que “como o responsável pela manutenção da democracia respeita toda e qualquer manifestação popular legítima”.

 

 

O questionamento da Unajuf na petição é que apenas 5% das urnas, ou 30 mil, tenham a possibilidade de impressão nas eleições deste ano. A impressão dos votos foi aprovada em uma lei da minirreforma política em 2015, prevista para começar no pleito deste ano.

 

Segundo o edital do TSE, a licitação de hoje deve “contratar a produção, o fornecimento e a garantia de 30.000 Conjuntos de Impressão de votos e Cabinas de Votação, incluindo o desenvolvimento dos respectivos firmwares e documentos técnicos”.

 

No ano passado, o tribunal já anunciou que não teria recursos para implementar a mudança em 100% das zonas eleitorais brasileiras. O TSE calculou que seria financeiramente inviável adquirir novas urnas e comprará apenas as impressoras, os papeis e demais equipamentos acopláveis.

 

Apesar de negar a suspensão liminar da licitação, o juiz entendeu que as razões do pedido “são relevantes” e pediu mais informações para a Unajuf, que, por sua vez, disse ao Estado “comemorar a decisão”.

 

Por meio de nota, o TSE afirmou que “respeita a legislação em vigor e tem trabalhado para cumprir todas as determinações previstas em lei para a implementação do voto impresso” e ainda que “todos os seus atos obedecem a Lei da Transparência, princípio que norteia as ações do Tribunal”.

ESTADÃO CONTEÚDO

Sobe Catracas

JOMAR FERNANDES, desembargador do TJAM

Passou a integrar o Conselho de Magistratura do AM representando as Câmaras Criminais do Tribunal 

Sobe Catracas

NÉLIA CAMINHA, desembargadora

Foi reconduzida ao cargo de presidente da 3ª Câmara Cível do TJAM, por aclamação, para mais dois anos, até 2020

Desce Catracas

ARAILDO CARECA, prefeito de Santa Izabel do Rio Negro

Justiça do AM bloqueou R$100 mil em bens dele, após denúncia do MP-AM, de que teria direcionado licitação de R$3 milhões para empresa de parente

Desce Catracas

ILISEU 'BAT', ex-presidente da Câmara de Coari

TCE reprovou as contas da Câmara Municipal referentes ao ano de 2016 e ele terá que devolver R$ 2,2 milhões aos cofres 

BASTIDORES