DeAmazônia

MENU
Atualizado em 07/01/2018

Artur não quer pagar abono com sobras do Fundeb e professores protestam, em Manaus

Prefeito de Manaus que usar dinheiro para pagar fornecedores

Artur não quer pagar abono com sobras do Fundeb e professores protestam, em Manaus Protesto de professores em frente a Câmara de Manaus ( Euzivaldo Queiroz)

MANAUS, AM - Professores que integram o movimento “Fundeb para todos” vão discutir o remanejamento de R$ 7,2 milhões de sobras do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) autorizado pelo prefeito Artur Neto (PSDB) em dezembro. O dinheiro será utilizado pela Secretaria Municipal de Educação (Semed) para pagamento de contratos de serviços de 2017 em vez de ser distribuído aos professores, como queria a categoria.

 

A medida da gestão tucana foi publicada na última edição do Diário Oficial do Município (DOM) de 2017 - em 29 de dezembro, e carrega a assinatura da secretária Municipal de Educação, Kátia Serafina. A secretária é vista como desafeto da categoria desde o ano passado, quando professores e pedagogos da rede municipal se mobilizaram e realizaram uma série de manifestações cobrando mais transparência na aplicação dos recursos do Fundeb.

 

Membro do movimento “Fundeb Para Todos”, o professor Jonas Araújo afirma que o remanejamento de sobras do Fundeb é a “prova cabal” de que o prefeito Artur Neto mentiu para a categoria quando afirmou que não existia saúde financeira para conceder o rateio das sobras do fundo.

 

“Temos uma reunião já marcada para o dia 13 de janeiro, onde daremos o pontapé na campanha salarial dos professores. A nossa posição  – do movimento “Fundeb Para Todos” e dos professores que participarem dessa mobilização  – em relação à prefeitura, é que isso é uma prova cabal de que o prefeito Artur Neto estava mentindo sobre como estava aplicando os recursos do Fundeb”, disse.

 

Para Jonas, o não pagamento de abono aos professores é uma forma de retaliação. “Primeiro ele se manifestou publicamente dizendo que manteria a secretária Kátia Serafina, que chamou os professores de criminosos, e em seguida ele escolheu devolver esse dinheiro a rateá-lo entre os professores”, criticou Jonas.

 

O valor oriundo do Fundeb  – R$ 7,2 milhões – foi remanejado, de acordo com a portaria n° 440/2017 por meio de cinco destaques orçamentários realizados sempre em dias 1° dos meses de fevereiro, setembro e novembro de 2017.

 

Seduc

Os profissionais do Magistério (professores e pedagogos) da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) vão receber mais uma parcela do abono do Fundeb no dia 17 de janeiro e faz parte do plano de valorização dos profissionais da Educação.

 

Os valores dessa quinta parcela do abono, referente às sobras do Fundeb 2017, ficarão entre R$ 1 mil e R$ 1,2 mil para cada 20 horas (por cadeira). Ou seja, o servidor que trabalha 40 horas ganha o dobro e aquele que possui 60 horas receberá o triplo. Desta forma, os valores podem chegar até a R$ 3,6 mil. Os professores e pedagogos foram beneficiados desde agosto de 2017, quando o governo Federal enviou ao Amazonas R$ 236 milhões de sobras do Fundeb

 

Dinheiro não voltou para o governo, diz prefeitura

Em nota, a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) explicou que não se justifica pagamento de abono aos professores, pois as despesas com remuneração dos profissionais com recursos do Fundeb já ultrapassaram os 60% previstos em Lei. A Semed também esclarece que não está devolvendo dinheiro ao governo federal, mas movimentando recursos entre as duas unidades orçamentárias da secretaria.

 

“É importante esclarecer que o ato de devolução é referente a destaques entre as duas unidades orçamentárias, dentro da própria Semed, para o pagamento de contratos de serviços que não tiveram os empenhos liberados para pagamentos em 2017. Por este motivo, o saldo deve retornar à unidade de origem”, dia a nota. Dessa forma, de acordo com a pasta, os valores não foram devolvidos ao Ministério da Educação e continuam integrando o orçamento da Educação municipal. O empenho desses recursos será realizado em 2018.

COM INFORMAÇÕES DO PORTAL A CRITICA, Por Janaína Andrade

Sobe Catracas

ANA PAULA BRAGA, juíza de Direito

Foi uma dos três magistrados a receber medalha do mérito acadêmico da Escola de Magistratura, entregue no Tribunal de Justiça AM 

Sobe Catracas

DÉLCIO SANTOS, desembargador do TJAM

Foi empossado na tarde de segunda feira (18) desembargador do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM)

Desce Catracas

JANAÍNA CÂMARA, secretária de Esporte do AM

MPF ajuiza ação contra ela por distribuição de bolas à moradores da Zona Leste de Manaus, e está sujeita a multa de R$ 50 mil 

Desce Catracas

ROMEIRO MENDONÇA, prefeito de Presidente Figueiredo

Ex-vereador e ex-aliado dele, divulgou vídeo onde denuncia uma série de corrupções praticadas pela Prefeitura Municipal 

BASTIDORES