DeAmazônia

MENU
Atualizado em 04/01/2018

Temer sanciona lei que permite capitalizar Caixa com recursos do FGTS

Texto aprovado pelo Congresso prevê injeção de até R$ 15 bilhões no banco. Legislação visa adequar Caixa a novas regras de controle estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional.

Temer sanciona lei que permite capitalizar Caixa com recursos do FGTS Na presença de ministros e do presidente da Caixa, Gilberto Occhi, o presidente Michel Temer sanciona lei que permite uso de até R$ 15 bilhões do FGTS pelo bancoClauber / Cleber Caetano/PR

BRASÍLIA - O presidente Michel Temer sancionou hoje (4), sem vetos, a lei que permite a capitalização da Caixa Econômica Federal em até R$ 15 bilhões com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

 

O projeto, agora convertido em lei, foi aprovado no Congresso Nacional em dezembro e autoriza o Conselho Curador do FGTS a realizar contratos com a Caixa na forma de instrumentos híbridos de capital e dívida. Os contratos serão feitos por meio de resolução do conselho.

 

Sem o recurso, o banco poderia ter que reduzir a concessão de crédito. O objetivo é atender às normas do Conselho Monetário Nacional (CMN) para que a Caixa continue liberando crédito para operações imobiliárias ao público de baixa renda, sobretudo para o Programa Minha Casa, Minha Vida.

 

De acordo com o projeto aprovado no Congresso, a aplicação de recursos do FGTS fica autorizada até o dia 31 de dezembro de 2018.

 

A sanção ocorreu no gabinete do presidente Temer com a presença do presidente da Caixa, Gilberto Occhi, e dos ministros da Casa Civil, Eliseu Padilha, e da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco.

Yara Aquino - Repórter da Agência Brasil

Sobe Catracas

KETELLEN REGINA, atleta

Amazonense representará o estado no Mundial Escolar de Marrocos pela modalidade Luta Olímpica

Sobe Catracas

FLÁVIO PASCARELLI, presidente do TJ/AM

TJ/AM ficou entre os quatro primeiros tribunais estaduais do País em produtividade no cumpriento da Meta 1 do CNJ

Desce Catracas

MANO DADAI, vereador de Santarém

Foi preso na operação Perfuga, após ser entregue em delação, acusado dos crimes de peculato e associação criminosa

Desce Catracas

RAIMUNDO CHICÓ, prefeito de Anamã

Pela segunda vez em dez anos, Justiça Eleitoral determinou o afastamento dele do cargo e pede novas eleições ao município

BASTIDORES