DeAmazônia

MENU
Atualizado em 29/12/2017

Prefeitura de Manaus dá “calote” em 1,5 mil professores, diz Zé Ricardo

Prefeito de Manaus, Artur Neto, não pagou o salário de progressão dos professores

Prefeitura de Manaus dá “calote” em 1,5 mil professores, diz Zé Ricardo Deputado estadual José Ricardo

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Cerca de 1,5 mil professores que receberam pagamento da Progressão por Titularidade não receberam a Progressão por Tempo de Serviço garantida em Lei e prometida pelo prefeito Artur Neto (PSDB), durante uma reunião com os professores. A denúncia é do deputado José Ricardo (PT) que entrou com representação junto ao Ministério do Público do Estado (MPE) contra a Prefeitura de Manaus e Secretaria Municipal de Educação (Semed) para que a lei seja cumprida.

 

Os professores também alegam que houve omissão por parte da Semed quando esta resolveu seguir as ordens da Casa Civil, que negou o pagamento do benefício, prejudicando centenas de profissionais de magistério.

 

Denúncias dão conta de que em cumprimento à Lei N° 1.126/2007 de Plano de Cargos, Carreiras e Subsídios dos Profissionais de magistério (PCCS), que trata sobre a evolução funcional, a prefeitura concedeu em julho deste ano, por meio da portaria N°279/17, o pagamento da Progressão por Titularidade aos professores de nível médio e superior, o que beneficiou cerca de 1500 profissionais de educação. Já o pagamento das Progressões por Tempo de Serviço, iniciou-se em setembro, conforme o Decreto N° 4209, do dia 18 de setembro de 2017. No entanto, os professores e pedagogos que receberam a Progressão por Titularidade não foram contemplados.

 

Para José Ricardo, a Prefeitura está tendo uma interpretação equivocada da Lei ou agindo propositalmente, uma vez que o artigo 49 determina claramente que estão habilitados para receber as duas Progressões todo profissional de magistério que cumprir o interstício mínimo de três anos de efetivo exercício na referência em que se encontre e obtiver, nas três últimas avaliações de desempenho, média igual ou superior a 75% dos pontos possíveis.

 

“O prefeito está descumprindo a Lei. Isso é mais um exemplo de que ele não tem o menor compromisso com a educação do município de Manaus. Somente este ano ele recebeu R$109 milhões de recurso do Fundeb, mas não pagou abono aos professores e não fez prestação de contas desses recursos”, destacou o deputado lembrando que em 2014 o prefeito Artur Neto (PSDB) preferiu devolver parte dos recursos do Fundeb, mas não repassou aos professores que são os verdadeiros donos desse dinheiro por direito.

 

Diante disso, José Ricardo acionou o MPE para tome as medidas cabíveis, fazendo com que a Prefeitura cumpra a legislação repassando os recursos devidos aos professores.

 

Sobe Catracas

PASTORA LEAL, presidente do TRT/8ª Região

Desembargadora foi homenageada na sede do TST, em Brasília, com medalha da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho

Desce Catracas

JARDEL VASCONCELOS, prefeito de Monte Alegre (PA)

Conselho de Ética e Transparência Administrativa Municipal (Copetramma) protocolou pedido de cassação dele na Câmara por suposta fraude em licitação