DeAmazônia

MENU
Atualizado em 18/12/2017

"Tenho gás e sou mais pegador. Tenho mais pegada que o Alckmin", dispara Artur

O prefeito de Manaus, Artur Neto, disse que o PSDB não quer realizar prévias limpas: " me mandaram um e-mail torto"

O prefeito de Manaus, Artur Neto, propôs prévias do PSDB para março com debates nas capitais ( Jonas Santos/DeAMAZÔNIA)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O prefeito de Manaus, Artur Neto, disse que o PSDB não quer realizar uma prévia limpa para escolher o candidato da legenda a presidência da República. O e-mail que o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, enviou como resposta ao prefeito não constavam endereço e nem telefones dos filiados. Artur, acusa ainda o partido de querer lhe tirar o direito de ser candidato, mas avisou: “Eu não vejo gás, eu não vejo pegada. Eu sou pegador. Eu tenho mais pegada, com todo respeito e estima que eu tenho por ele, que o Geraldo Alckmin”, afirmou, para o Portal DeAMAZÔNIA.  

 

Artur se irritou do tratamento do partido e se queixou da convenção. Ele disse que a convenção será ilegítima se não tiver a participação dos filiados. “Chega dessa conversa. Tá na hora do PSDB escolher. Chega dessa história de pedir documento e não me dá documento. Hoje recebi um e-mail torto. Quando tinha endereço não tinha telefone, quando tem telefone não tem e-mail. Visivelmente para me levar na conversa. Ou ousam e nós vamos ganhar isso ou me derrotam numa convenção que não seja legítima, que não seja a verdadeira expressão dos militantes. E aí vamos perder a eleição. É uma coisa que está escrito nas estrelas”.

 

O prefeito de Manaus falou ainda que o partido não fecha questão com a pautas nacionais e que o PSDB passa por um momento de desgaste e de depreciação nacional. “Eles me acusam de estar fazendo confusão. Eu não estou fazendo confusão. A confusão é o desgaste que o partido se expôs.  Confusão é o partido ter perdido o rumo que fez dele o partido mais respeitado da América Latina, em certo momento da sua existência e hoje é um dos partidos mais depreciados no Brasil”, disse.

 

Artur Neto que quer o PSDB confirme nas prévias a realização de dez debates entre ele e Geraldo Alckmin. Para ele, março é o mês mais viável para as prévias. “Eu quero que ele (Alckmin) venha me enfrentar e aceite os dez debate que eu acertei com ele, nas principais cidades ”, disse.

 

O prefeito avaliou que o momento que o partido passa não é para credenciar candidato aventureiro. “Estou tentado fazer um esforço e propondo para todo mundo um grande esforço. Eu não sei se é o último  para soerguer esse partido, que pode ser ainda muito útil a sociedade. Mas não é com enrolação. Não é com previa que não é previa. Não é com fechamento de questão que não é fechamento de questão. É encarar a nossas verdades, as nossas mazelas e irmos a luta e procurar construir um pais melhor. Tem de ser com sinceridade. Não sou eu. É o momento. Neste momento, não é permitido que aventureiros apareçam como candidatos de verdade, que não são candidatos de verdade, aventureiros mesmo, petelecos”.

 

Para Artur a fato de Geraldo Alckmin aparecer com apenas 4% na Pesquisa Data Folha serve de alerta para o partido, escolher um candidato que tenha “gás” e que seja "pegador”. “Eu não posso nem dizer que eu ganho se for candidato do partido. Eu só sei que como está não ganha. Eu só sei que se me derem a chance eu vou ser competitivo, eu vou ser firme pra cima de todos aqueles que estariam por ventura na minha frente. Tem que ter pegada, tem que ter gás e eu não estou vendo essa gás no partido”.

 

Artur insinuou que cardeais do tucanato querem barrar a candidatura dele por ele ser da Região Norte e disse que não está atrapalhando o projeto do partido. “Parece ser um absurdo eu pleitear essa investidura essa candidatura porque sou do Norte, talvez. Já disseram que meu Estado é economicamente insignificante. Nossa!! O que nós temos de potencial para desenvolver este país... E o exterior no trata como prefeito da Amazônia[...]. E o que eles tentam nos agradar[...] Eles nos veem mais que os nossos nacionais. Portanto, eu não cometi crime. Minha candidatura não é um delito. Não quero atrapalhar uma vitória, não. Estou atrapalhando uma derrota que está se avizinhando e que todo mundo está vendo. Uma derrota de um partido que não está convencendo ninguém”, justificou.

 

Artur já foi senador da República, deputado federal, ministro chefe da Casa Civil, no governo FHC, e líder do partido no Senado. Foi ainda um dos opositores mais ferrenhos a gestão do ex-presidente Lula.  “Eu sou tucano. Dediquei 30 anos da minha vida ao PSDB. Só espero que me tratem com respeito o meu direito de disputar essa eleição. Espero convenção aberta, não de coisa fechadinha. O partido já perdeu quatro eleições, com coisa fechadinha. Quero uma convenção aberta. Se toparem em tenho certeza, convicção e todo respeito, e estima que eu tenho por ele, eu sou candidato mais pegador, com mais força,  com mais pegada do que o governador Geraldo Alckmin”, finalizou o prefeito de Manaus.

CONTATO COM A COLUNA BASTIDORES

(92) 99229 8831 WhatsApp

deamazonia3@gmail.com

DEAMAZONIA.COM.BR

Sobe Catracas

SÉRGIO ANDRADE, cineasta amazonense

Longa-metragem dele "A Terra Negra dos Kawa" vai participar dos dois principais festivais de cinema do país, no Rio e em São Paulo

Sobe Catracas

ANTHONY DE OLIVEIRA, estudante

Aluno de escola municipal de Manaus, conquistou 2º lugar nas Olimpíadas Brasileiras de Astronomia e Astronáutica (OBA)

Desce Catracas

PEDRO GARCIA, ex-prefeito de São Gabriel da Cachoeira

Justiça Federal determinou bloqueio de R$ 540 mil em bens e valores da conta bancária dele por improbidade administrativa 

Desce Catracas

ALESSANDRA BRAGA, delegada de Codajás

Foi presa acusada de envolvimento com tráfico de drogas e corrupção no município 

BASTIDORES