DeAmazônia

MENU
Atualizado em 14/11/2017

Operação cumpre 170 mandados por crimes em penitenciárias de Manaus

Uma terceira fase da operação "Rio Amazonas" deve ser deflagrada ainda neste ano.

Operação cumpre 170 mandados por crimes em penitenciárias de Manaus Operação foi realizada durante 11 dias. Foto: reprodução internet

A segunda fase da operação “Rio Amazonas”, realizada em penitenciárias de Manaus, resultou no cumprimento de 178 mandados de prisão por diferentes crimes. A ação iniciou no último dia 03 e foi deflagrada pela Delegacia Especializada em Capturas e Polinter em parceria com a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária.

 

Durante 11 dias os policiais civis cumpriram 58 mandados de prisão preventiva por homicídio, 49 por roubo, 30 por tráficos de drogas, 18 pela Vara de Execuções Penais, oito por precatórias, sete por segredo de Justiça, dois por estupro, dois por estelionato, um por extorsão mediante sequestro, um por adulteração veicular e recapturaram dois foragidos.

 

Segundo o comandante da operação, o delegado Samir Freire, o trabalho evitou que criminosos voltassem às ruas, reduzindo a sensação de impunidade e aumentando a segurança da população, especialmente no período de festas de final de ano.

 

A segunda fase da operação “Rio Amazonas” foi realizada na unidade Prisional do Puraquequara, no Compaj, Complexo Penitenciário Anísio Jobim, palco do massacre ocorrido em janeiro, no Ipat, que é o Instituto Penal Antônio Trindade e nos Centros de Detenção Provisória Masculino e Feminino.

 

Uma terceira fase da operação deve ser deflagrada ainda neste ano, de acordo com o delegado Samir Freire.

AGÊNCIA BRASIL

 

Sobe Catracas

CABO MARCELO, vereador de Rio Preto da Eva

Vereador que votou contra o aumento das taxas de iluminação pública, IPTU e de água denuncia cobrança abusiva

Sobe Catracas

ADELSON ALBUQUERQUE, ex-presidente do Boi Garantido

SEC comunicou ao TCE aprovação das contas dele na gestão do Garantido, em 2017

Desce Catracas

ALESSANDRA CAMPÊLO, deputada estadual (PMDB-AM)

Empresa pertencente ao marido dela é acusada de superfaturar serviços com a Susam

Desce Catracas

ADAIL FILHO, prefeito de Coari

MP pediu afastamento imediato dele do cargo, perda de mandato, e devolução de R$ 2,7 por acordo de fachadas com empresas

BASTIDORES