DeAmazônia

MENU
Atualizado em 15/08/2017

Encerra nesta quarta-feira (16), o prazo para Prestação de Contas Eleitorais do 1º turno

Candidatos devem ficar atentos ao prazo de Prestação de Contas à Justiça Eleitoral, que se encerra amanhã, 16 de agosto.

Encerra nesta quarta-feira (16), o prazo para Prestação de Contas Eleitorais do 1º turno O candidato inadimplente ficará impedido de obter a certidão de quitação eleitoral até o fim da legislatura - Foto: Divulgação

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Passado o primeiro turno das Eleições Suplementares, com a definição de quem não concorrerá ao segundo turno, candidatos devem ficar atentos ao prazo de Prestação de Contas à Justiça Eleitoral, que se encerra amanhã, 16 de agosto.

 

A prestação de contas deve ser elaborada pelos candidatos, utilizando o Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE Cadastro Suplementar) da Justiça Eleitoral, disponível na página da internet do TRE ou do TSE.

 

Para cumprir a obrigação, o prestador deverá gerar e enviar a prestação de contas pelo sistema, devendo assinar o extrato da prestação de contas gerado, em conjunto com o profissional de contabilidade, e enviar ao TRE junto com a documentação relativa às contas (comprovantes de receitas e despesas), via Processo Judicial Eletrônico, conforme previsto na Resolução TRE/AM n. 10/2017. É obrigatória sua apresentação via PJe, em razão da previsão contida na Resolução 10/2017, bem como na Portaria TRE/AM n. 176/2017, que estabeleceu o PJe no âmbito do Tribunal Eleitoral do Amazonas.

 

Caso não preste as contas da campanha, o candidato inadimplente ficará impedido de obter a certidão de quitação eleitoral até o fim da legislatura à qual concorreu, perdurando esse efeito até que as contas sejam prestadas.

Sobe Catracas

ADRIANE GISELE SÁ, professora da rede municipal de Santarém (PA)

Vencedora do Prêmios 'Professores do Brasil' vai ao Canadá, representar o Pará em evento com demais ganhadores 

Desce Catracas

IVON RATES, prefeito de Envira/AM

Prefeito recebeu R$ 14 milhões do Estado para asfaltar ruas, não realizou obras e Justiça determinou pavimentação imediata