DeAmazônia

MENU
Atualizado em 09/02/2017

Em Brasília, primeira-dama do Amazonas, Edilene Gomes, participa de reunião do programa Criança Feliz

Amazonas foi um dos primeiros estados a aderir ao Criança Feliz que tem as mesmas diretrizes de programas já desenvolvidos no Estado

Em Brasília, primeira-dama do Amazonas, Edilene Gomes, participa de reunião do programa Criança Feliz Foto: Divulgação

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A convite da primeira dama da República, Marcela Temer, a primeira-dama do Amazonas, Edilene Gomes de Oliveira, participou, nesta quinta-feira (9), no Palácio da Alvorada, em Brasília, da Reunião de apresentação e mobilização de ações regionais do Programa Criança Feliz. Lançado em outubro do ano passado, pelo presidente Michel Temer, o programa tem como objetivo fortalecer as políticas públicas voltadas para a primeira infância com a finalidade de promover o desenvolvimento integral de crianças até os 6 anos de idade.

 

O Amazonas foi um dos primeiros Estados a aderir ao programa federal, cujas diretrizes são semelhantes à iniciativas já realizadas pelo Governo do Estado. Ano passado o governador José Melo lançou o Primeira Infância Amazonense (PIA), que visa a promoção do desenvolvimento integral da criança, com acompanhamento desde a gestação da mãe até os seis anos de idade.

 

O programa estadual tem como base o Primeira Infância Ribeirinha (PIR), cujo piloto foi lançado em 2012 pela Fundação Amazonas Sustentável (FAS) e a Secretaria Estadual de Saúde (Susam), em parceria com o Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis). O PIR tem foco no acompanhamento da saúde e no desenvolvimento integral de crianças de Reservas de Desenvolvimento Sustentáveis de até 6 anos de idade.  

 

“Foi uma reunião muito promissora, porque pude conversar com a primeira-dama Marcela e falar sobre as experiências do Governo do Amazonas em relação à primeira infância, mostrando que já temos políticas públicas neste sentido e também nossos avanços. Portanto, vamos aprimorar o que já temos e acrescentar aquilo que tiver a mais no programa federal”, disse a primeira-dama do Amazonas, ao ressaltar que o programa com  as comunidades ribeirinhas despertou interesse de Marcela Temer.  "O Amazonas já tem feito o dever de casa em relação às políticas públicas para a primeira infância. E agora nos cabe o dever de ampliar", completou.

 

A implantação do Criança Feliz depende da adesão dos Estados e Municípios e a aprovação nos respectivos conselhos de Assistência Social. No Amazonas, até o momento, 24 municípios aderiram ao programa federal, sendo que os outros 38 que ainda não aderiram, incluindo Manaus, tem até o dia 10 de fevereiro para entregar o Termo de Aceite. Para aderir ao programa, o município precisa ter CRAS (Centro de Referência de Assistência Social) com equipe em funcionamento.      

                 

A secretária de Estado de Assistência Social, Regina Fernandes, que acompanhou a primeira-dama na reunião, disse que o papel do Estado no programa é de apoio técnico. Segundo ela, quatro técnicos da Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas) vão passar por capacitação, assim como os dos outros Estados e do Distrito Federal. Depois, eles vão capacitar os técnicos dos municípios. A capacitação será de 13 a 24 de fevereiro, em Porto Velho.    

 

Participaram da reunião as primeiras-damas e representantes de Estados e capitais de todas as regiões, além de representantes do Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), que coordena o programa, e de instituições da sociedade civil voltadas aos cuidados da primeira infância. Entre os palestrantes estavam o ministro do MDS, Osmar Terra, além de Ricardo Paes de Barros, do Instituto Ayrton Senna; Nick Fabiancink, coordenador residente da Organização das Nações Unidas (ONU); Lucia Braga, presidente da Rede Sarah e Eduardo Queiroz, da Fundação Maria Cecília Souto Vidigal.

 

O Programa Federal  

O Criança Feliz prioriza gestantes e crianças de até 3 anos beneficiárias do Bolsa Família e as de até 6 anos que recebem o Benefício de Prestação Continuada (BPC). As famílias serão acompanhadas por equipe capacitada, que farão visitas domiciliares periódicas, nas quais as famílias recebem acompanhamento e orientação sobre questões ligadas à saúde, desde o pré-natal, incluindo amamentação, nutrição infantil, acompanhamento de vacinas, com foco na redução da desnutrição e no combate à mortalidade infantil, bem como no desenvolvimento pleno dos assistidos.

 

Além disso, o Criança Feliz integrará ações coordenadas em várias áreas, como, assistência social, educação, justiça e cultura. O objetivo é formar uma rede integrada com os órgãos destas esferas. Nos municípios, os visitadores domiciliares irão atender diretamente as famílias selecionadas para o programa, adotando uma metodologia própria. Conforme o tamanho do município serão designados ainda supervisores que irão orientar os visitadores, coordenar os protocolos e articular as visitas com a rede integrada, como saúde, justiça e educação.

 

Primeira Infância Amazonense – Em março de 2016, por meio da Lei 4.312, o Governo do Amazonas instituiu o Programa Primeira Infância Amazonense, como parte integrante da política estadual de promoção e desenvolvimento da primeira infância sob a coordenação da Secretaria Estadual de Saúde (Susam), em conjunto com a Seas e a Secretaria Estadual de Educação (Seduc).

 

Entre as principais ações do PIA estão: apoiar as estratégias para garantir a universalização da educação infantil; fomentar e estimular a oferta de ações e serviços para famílias com crianças de até seis anos de idade em situação de vulnerabilidade social; apoiar políticas públicas que promovam ações integradas para a saúde da gestante e da criança até os seis anos de idade, em todos os níveis de atenção, desde a saúde básica, pré-natal, parto e puerpério e acompanhamento do desenvolvimento da criança, bem como os serviços especializados; promover estratégias para redução dos índices de desnutrição; apoiar as ações que incentivam o parto natural, entre outras.

 

Primeira Infância Ribeirinha

Desde 2012, a FAS desenvolve o Projeto Primeira Infa?ncia Ribeirinha (PIR), em parceria com a Secretaria de Estado da Sau?de do Amazonas (Susam) e Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (Idis), com recursos da Johnson & Johnson e da Fundação Bernard Van Leer. A iniciativa busca subsidiar o desenvolvimento de poli?ticas pu?blicas inclusivas para o desenvolvimento da primeira infa?ncia das crianc?as nas comunidades ribeirinhas no Estado do Amazonas.

 

Iniciado na Reserva de Desenvolvimento Sustentável  (RDS) do Rio Negro, o PIR formou 16 agentes de saúde que beneficiaram cerca de 180 famílias ribeirinhas da reserva. Em 2016, o projeto começou sua implementação em mais quatro RDS: Uatumã, Amanã, Mamirauá e Floresta Estadual de Maués. No último semestre de 2016 foram formados cerca de 93 agentes comunitários de saúde, que passarão a acompanhar de perto vários aspectos do desenvolvimento das crianças, desde a gestação até os seis anos de idade. No total, mais de 687 famílias destas Unidades de Conservação (UC) passarão a ser acompanhadas pelo projeto.

Sobe Catracas

BI GARCIA, prefeito de Parintins

Vai demitir secretários que não colaboram com medidas de prevenção para evitar morte de pessoas pela pandemia de coronavírus

Desce Catracas

DOCA ALBUQUERQUE, prefeito de Terra Santa

Publicou decreto estranho que anula convocação de aprovados em concurso 2020 e abrirá processo seletivo