DeAmazônia

MENU
Atualizado em 17/01/2015

Com prefeito cassado, TRE-AM determina nova eleição em Carauari

Com prefeito cassado, TRE-AM determina nova eleição em Carauari Chico Costa

O desembargador João Mauro Bessa, corregedor e presidente em exercício do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, determinou a realização de nova eleição no município de Carauari, onde o prefeito Francisco Costa dos Santos, o “Chico Costa” e sua vice Suzy Barros de Lima, foram cassados pelo Pleno do TRE-Am, ano passado por abuso de poder político nas eleições de 2012.

 

Com a determinação de Mauro Bessa para realização de nova eleição, o presidente da Câmara Municipal de Carauari, terá de assumir imediatamente a administração do município até que o Pleno do Tribunal, decida o dia para as novas eleições.

 

Em sua denúncia o Ministério Público Eleitoral diz que o então candidato à prefeitura de Carauari distribuiu 800 mil litros de gasolina para eleitores durante a campanha eleitoral em 2012. A distribuição ocorreu de forma genérica “sem qualquer vínculo com participação em carreata política de cabos eleitorais”, citou o órgão ministerial.

 

De acordo com o advogado do ex-prefeito Bruno Ramalho, Cristian Mendes, apesar do tempo que aguardavam a decisão da Corte, ela ocorreu assim que chegou no TRE-Am, em tempo recorde.

 

“A demora mesmo ocorreu no primeiro grau. Mas como sempre confiamos na Justiça, a decisão sai em boa hora”, disse Cristian, que garantiu que irá a Carauari, acompanhar seu cliente Bruno Ramalho, que disputará as eleições. “Assim como vou fiscalizar o adversário, fiscalizo também meu cliente para evitar que ele cometa erros e possa ser cassado como Chico Costa foi agora”, acrescentou.

fatoamazonico.com

Sobe Catracas

LUIZ PACHECO, presidente da Escola de Samba Aparecida

Escola de Samba Mocidade Independente de Aparecida foi campeã do Carnaval de Manaus 2020

Desce Catracas

VILSON GONÇALVES, prefeito de Aveiro (PA)

Virou alvo da Justiça em processo criminal acusado de recolher ICMS de mercadoria para exportação sem comprovar para Sefa saída do produto