Domingo, 03 de julho de 2022

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 22/05/2022

Escolhido o cartaz oficial do Festival Folclórico de Parintins 2022

A tela vencedora, intitulada "Afro-Amazônico", irá representar o cartaz do Festival; artista Glaucivan Silva foi o vencedor

Escolhido o cartaz oficial do Festival Folclórico de Parintins 2022 Escolhido o cartaz oficial do Festival Folclórico de Parintins 2022 (Fotos: Arleison Cruz)

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O artista Glaucivan Silva foi o vencedor do 31º Concurso de Telas, promovido pela Associação dos Artistas Plásticos de Parintins (AAPP), em parceria com a Prefeitura, por meio da Secretaria de Cultura e Turismo (Semctur). 

 

A tela vencedora, intitulada "Afro-Amazônico", irá representar o cartaz do 55º Festival Folclórico de Parintins, que acontece nos dias 24, 25 e 26 de junho.

 

O Concurso de Telas aconteceu na sede da AAPP neste sábado (21) e contou com 40 obras que disputaram os quesitos criatividade, expressão e acabamento da tela.

 

 A obra de Glaucivan obteve 149,10 pontos, seguido de Marcelino Melo com 148,70 e Sergio Prata, terceiro lugar com 148,70 pontos. O segundo lugar foi definido pelo critério de desempate no quesito criatividade. 

 

Glaucivan fez agradecimentos e falou do retorno para o concurso. "Agradeço a todos que participaram. A nossa associação que não mede esforços para fazer o melhor pela classe artística, e após 23 anos retorno através do incentivo do meu irmão Pito e juntamente com outros artistas, voltamos para dar uma alavancada no trabalho artístico da associação", disse. 

 

Para a secretária de Cultura e Turismo, Karla Viana, "o concurso foi super positivo, pois valoriza ainda mais a arte parintinense e com certeza as obras irão encantar muitas pessoas durante exposição no Festival Folclórico".

Sobe Catracas

ALESSANDRA CAMPÊLO, deputada estadual

Apresentou projeto de 'Lei Klara Castanho', que prevê punição de servidores que violam sigilo de adoção e nascimento, no Amazonas

Desce Catracas

LIRA CASTRO, ex-presidente da Câmara de Envira (AM)

TCE reprovou as contas dele de 2018 por supostas diárias não justificadas a servidores e contratos com documentações irregulares