Segunda, 01 de março de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 16/01/2021

Para evitar caos, Usina de Oxigênio comprada por Parintins na Alemanha chega hoje (16)

Usina está sendo transportada em avião cargueiro de SP, em operação de guerra; usina foi adquirida por meio de emenda parlamentar do senador Omar Aziz

Para evitar caos, Usina de Oxigênio comprada por Parintins na Alemanha chega hoje (16) Parintins recebeu neste sábado (16) taque de oxigênio para abastecer hospitais, até a instalação da Usina de Oxigênio

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O prefeito Bi Garcia (DEM) confirmou que a Usina de Oxigênio Hospitalar comprada pela Prefeitura na Alemanha chegará na noite deste sábado (16/1), em Parintins (a 325 quilômetros de Manaus). A Prefeitura está realizando uma operação de guerra e mantendo todo o transporte e a logística em sigilo.

 

Os equipamentos estão sendo transportados em avião cargueiro de São Paulo, com apoio das Forças Armadas. Quando chegar a Parintins, a Usina de produção de oxigênio será instalada em dois dias.

 

Na manhã deste sábado (16/1), Parintins recebeu um tanque de oxigênio que vai garantir  dez dias de abastecimento nos hospitais Jofre Cohen e Padre Colombo, até a usina ser montada. O tanque tem a capacidade de fornecimento de 7 mil metros cúbicos de oxigênio. O material foi adquirido com recursos próprios do Município com a empresa Nitron da Amazônia.

 

"Nós temos aí mais 10 dias de tranquilidade com relação ao abastecimento do hospital Jofre Cohen e do Padre Colombo. Com as balas que nós compramos, fizemos planos A, B, C e D, e graças a Deus está acontecendo as coisas dentro do que planejamos. Hoje (16) à noite chega a usina de oxigênio de Parintins e em dois dias ela estará montada e funcionando aqui no nosso município. Com isso a gente vai produzir oxigênio e inclusive engarrafar no hospital Jofre Cohen. A usina vai produzir 70 metros cubicos, por hora ", comemora  Bi Garcia.

 

A Usina foi adquirida por meio de emenda parlamentar do senador Omar Aziz (PSD), no valor superior a mais de R$ 1 milhão. 

 

Na quarta-feira (11), a remessa de oxigênio que seria destinada a Parintins foi ‘sequestrada’, em Manaus, porque as autoridades estaduais necessitavam remover os cilindros aos hospitais da capital que estavam com a falta do equipamento.

 

A saída em Parintins, encontrada pelo prefeito, foi mobilizar ajuda de empresários locais para evitar que os hospitais da cidade entrassem em colapso até a chegada da Usina de Oxigênio da Alemanha.

 

Na sexta (15), Parintins conseguiu nova  remessa de balas de oxigênio.

Manaus registrou mortes por asfixia com mortes de doentes de covid-19. Para evitar tragédia maior o governo transferiu pacientes dos hospitais de Manaus para cinco capitais brasileiras.  

 

MANACAPURU

Diante do cenário de colapso em todo o sistema de saúde do Amazonas, o município de Manacapuru enfrenta dificuldades para adquirir cilindros de oxigênio. Na quinta-feira (14), sete pessoas morreram asfixiadas. Em solidariedade a Manacapuru, o prefeito de Parintins, Bi Garcia, entrou em contato com o prefeito Beto D’Ângelo e obteve com a presidência da Nitron da Amazônia a destinação de 11 cilindros de oxigênio para o hospital da Terra das Cirandas. Parintins doou mais quatro balas de oxigênio para Novo Airão.

Sobe Catracas

MARIVELTON BARROSO, líder da etnia Baré

Venceu prêmio internacional da Revista Vanity Fair, que homenageia personalidades que mais se destacam pelo mundo, com projetos inovadores de turismo suntentável

Desce Catracas

DILMA SERRÃO, ex-prefeita de Belterra (PA)

TCU reprovou as contas e condenou ex-prefeita a devolver R$ 100 mil ao MEC, por não comprovar recursos do FNDE, recebidos em 2015