Quarta, 27 de janeiro de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 24/11/2020

‘Não gosto e não apoio deboche’, diz Antônio Andrade, sobre caso Jender Lobato

Antônio Andrade defendeu blindagem do Festival de Parintins, após prisão do presidente do Caprichoso

‘Não gosto e não apoio deboche’, diz Antônio Andrade, sobre caso Jender Lobato Antôinio Andrade, presidente do boi Garantido

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O presidente do boi Garantido, Antônio Andrade, saiu a favor ontem (23/11), da blindagem do Festival de Parintins e disse que não apoia, neste momento, qualquer clima de rivalidade sobre o episódio que resultou na prisão do presidente do boi Caprichoso, Jender Lobato, em operação da Polícia Federal, nesta segunda, em Manaus.

 

Nas redes sociais, alguns torcedores do Garantido chegaram a fazer zoações a torcedores do azul, mas, Antônio se posicionou contra o ato, manifestando descontentamento.

 

“Não gosto e não apoio deboche com a situação por parte dos torcedores do Garantido. É algo que não tem nada a ver com o Caprichoso. Não envolve o Caprichoso. Diz respeito a uma pessoa que hoje, por acaso, é presidente do Caprichoso. É uma situação que precisa ser esclarecida o mais rápido possível”, advertiu o presidente do Garantido, em entrevista a Revista Cenarium, da jornalista Paula Litaif.

 

Segundo a matéria, Andrade desautorizou qualquer provocação contra o boi adversário e defendeu a blindagem das agremiações e do Festival de Parintins.      

 

“Os bois são instituições do Amazonas, de Parintins e do Brasil. São patrimônio imaterial da cultura brasileira e a vida de centenas de parintinenses. Caprichoso é parceiro do Garantido e vamos defender sempre essa existência”, avaliou Antônio Andrade.

 

O Portal deAMAZÔNIA tentou falar com o presidente do Garantido, mas ele não retornou as ligações.

 

ENTENDA

O presidente do boi Caprichoso, Jender Lobato, foi preso nesta segunda-feira (24), por ordem da Justiça, em operação da Polícia Federal que apura suposto desvio de recursos em processos licitatórios na Prefeitura de Presidente Figueiredo, entre os anos de 2017 e 2018. Nesta época, Jender era o presidente da Comissão de Licitação da Prefeitura.

 

Nas investigações feitas pela PF, Controladoria Geral da União e Ministério Público Federal, as licitações beneficiariam empresas ligadas aos familiares do deputado estadual Saullo Vianna. O deputado também foi alvo da operação.

 

O pai do deputado, o ex-vice-presidente do Caprichoso, Sérgio Vianna,  uma sócia da empresa de Saullo e um servidor da Prefeitura de Presidente Figueiredo também foram presos.  Segundo a PF, as prisões são temporárias. A Justiça Federal sequestrou R$ 13 milhões dos supostos envolvidos. 

Sobe Catracas

AMOM MANDEL, vereador de Manaus

Recorreu a Justiça para transferir provas do Enem, cobrou pagamento do auxílio manauara, fiscalizou fura-filas da vacina e faz seletivo para contratar assessores

Desce Catracas

SHÁDIA FRAXE, secretária de Saúde de Manaus

Vacinação em Manaus completa quatro dias que está suspensa pela Justiça Federal, por erros de prioridades na imunização