Terça, 24 de novembro de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 21/11/2020

Após repercussão, Plínio diz que voto impresso é para recibo do voto eletrônico

'A PEC não é para voltar a votação com a cédula de papel', esclareceu o senador amazonense

Após repercussão, Plínio diz que voto impresso é para recibo do voto eletrônico Após repercussão, Plínio diz que voto impresso é para recibo do voto eletrônico ( Reprodução TV Senado)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A proposta do senador Plínio Valério [PSDB], de ingressar com uma PEC [ Proposta de Emenda à Constituição] no Congresso, pela volta do voto impresso nas eleições ganhou um novo capítulo.

 

Após a polêmica, o senador pelo Amazonas se manifestou, ontem (20/11), por meio de sua conta no twitter, explicando que não quer a volta da cédula de papel, mas que a Justiça Eleitoral emita ao eleitor o recibo do voto eletrônico.

 

A polêmica se deu em razão da proposta do 'voto impresso' ser defendida pelo presidente Jair Bolsonaro [ sem partido], e compartilhada por seus seguidores. Bolsonaro voltou a afirmar que não confia na urna eletrônica. 

 

“Uma coisa precisa ficar bem clara. A PEC que vou apresentar não é para volta da votação com a cédula de papel, como alguns interpretam. Vai constitucionalizar a Lei existente que prevê o recibo do voto eletrônico armazenado em arquivo lacrado e inviolável, que permite auditagem em caso de fraude’, justificou.

 

O senador tucano disse ainda que o STF [ Supremo Tribunal Federal] vem impedindo o cumprimento da Lei 13.165/2015 que institui o registro do voto na urna eletrônica.

   

Sobe Catracas

ERLON ROCHA, vereador eleito de Santarém

Empresário do ramo naval foi o vereador mais votado, em Santarém (PA), obtendo 4.397 mil votos.

Desce Catracas

SAULLO VIANNA, deputado estadual

Alvo da operação da PF que apura suposto desvio de recursos federais do Fundeb em licitações da Prefeitura de Presidente Figueiredo