Terça, 26 de janeiro de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/11/2020

Polícia Civil cumpre mandado em comitê eleitoral por divulgar pesquisa falsa em Canutama

Mandado de busca e apreensão foi realizado nesta quinta-feira (12/11); homem de 41 anos foi detido.

Polícia Civil cumpre mandado em comitê eleitoral por divulgar pesquisa falsa em Canutama Polícia Civil cumpre mandado em comitê eleitoral por divulgar pesquisa falsa em Canutama (Foto: Divulgação/PC-AM)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM- A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da equipe da 62ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Canutama (distante 619 quilômetros em linha reta da capital), cumpriu, nesta quinta-feira (12/11), por volta das 11h, mandado de busca e apreensão em um comitê eleitoral por divulgação de propaganda eleitoral fraudulenta, no município.

 

Na ocasião, o responsável pelo local, um homem de 41 anos, foi detido.

 

De acordo com o delegado Marcos Arruda, que está respondendo pela DIP durante o período eleitoral, as diligências em torno do caso iniciaram após a ordem judicial ser expedida na quarta-feira (11/11), na Comarca de Canutama.

 

O mandado de busca e apreensão é referente a uma falsa pesquisa divulgada em rede social, realizada por aquele comitê.

 

“O artigo 33 da Lei 9504/97 estabelece que empresas que realizarem pesquisas de opinião pública relativas às eleições ou aos candidatos, para conhecimento público, são obrigadas a registrar, cada pesquisa, junto à Justiça Eleitoral, até cinco dias antes da divulgação. No local, apreendemos todos os folders e materiais referentes a mesma pesquisa”, explicou ele.

 

Procedimentos - O indivíduo foi encaminhado à sede da 62ª DIP, onde assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por divulgação de pesquisa eleitoral fraudulenta. Ele irá responder em liberdade.  

 

 

 

Sobe Catracas

JAIZA FRAXE, juíza federal do Amazonas

Reteu lotes da AstraZeneca/Oxford e só vai autorizar imunização, em Manaus, após Prefeitura comprovar transparência na vacinação

Desce Catracas

EDUARDO PAZUELLO, general e ministro da Saúde

PGR pediu abertura de inquérito no STF contra o ministro, devido mortes de pacientes, por falta de oxigênio, em tratamento de covid-19, em Manaus