Terça, 26 de janeiro de 2021

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 03/11/2020

CNJ vai analisar conduta de juiz e promotor do caso de 'estupro culposo'

O empresário André de Camargo Aranha, acusado de estuprar a influencer Mariana Ferrer, foi absolvido em audiência considerada humilhante para a vítima

CNJ vai analisar conduta de juiz e promotor do caso de 'estupro culposo' Mariana Ferrer e André de Camargo Aranha (Foto: Reprodução)

BRASÍLIA - O conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) Henrique Ávila editou representação para que a corregedoria do órgão analise a conduta do juiz Rudson Marcos e do promotor que participaram do julgamento do caso de estupro da influencer Mariana Ferrer, de acordo com Daniela Lima, da CNN.

 

O empresário André de Camargo Aranha foi acusado de violentar a jovem, mas foi absolvido, já que o ato foi classificado como "estupro culposo", "crime" não previsto em lei e que indica um suposto 'estupro sem intenção'.

 

“Em virtude da gravidade dos fatos veiculados pela imprensa, venho à presença de Vossa Excelência requerer a imediata abertura de Reclamação Disciplinar para a imediata e completa apuração da conduta do Juiz de Direito Rudson Marcos, do TJSC, na condução do processo criminal movido pelo MPSC contra André de Camargo Aranha pela imputação de suposto crime de estupro de vulnerável em que consta como vítima Mariana Ferrer”, escreve Ávila.

 

O conselheiro ainda diz que Mariana passou por tortura psicológica na audiência.

Sobe Catracas

JAIZA FRAXE, juíza federal do Amazonas

Reteu lotes da AstraZeneca/Oxford e só vai autorizar imunização, em Manaus, após Prefeitura comprovar transparência na vacinação

Desce Catracas

EDUARDO PAZUELLO, general e ministro da Saúde

PGR pediu abertura de inquérito no STF contra o ministro, devido mortes de pacientes, por falta de oxigênio, em tratamento de covid-19, em Manaus