Sexta, 14 de agosto de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 01/08/2020

Vereador denunciará prefeito de Rio Preto ao MPF por crime contra a saúde pública

"Teve patrocínio do município para promover aglomeração de 500 pessoas numa festa", disse cabo Marcelo Santos

Vereador denunciará prefeito de Rio Preto ao MPF por crime contra a saúde pública Banner da festa com o apoio da Prefeitura

DEAMAZÔNIA RIO PRETO DA EVA, AM - O vereador Cabo Marcelo Santos denunciará o prefeito de Rio Preto da Eva (a 80 quilômetros de Manaus), Anderson Sousa (Progressistas) por crime contra a saúde pública ao Ministério Público Federal por patrocinar e participar de uma festa de forró que tinha como atração principal o show do cantor Berg Guerra.O evento promoveu a aglomeração de aproximadamente 500 pessoas.

 

"O prefeito e o vereador realizaram uma festa no fim de semana que reuniu mais de 500 pessoas, todas sem máscaras e sem os cuidados recomendados pela OMS e Ministério da Saúde. Os próprios idealizadores da festa estavam sem máscara", afirmou o cabo Marcelo.

 

A 20ª edição da 'Festa da Fogueira' foi realizada no sábado (25/7), na sede do barracão da comunidade do Alto Rio, próximo a casa de Anderson. Desta vez o prefeito contou com o apoio do vereador Osvaldo do Alto Rio para realizar o evento para que a festa tradicional "não passasse em branco".  

 

A festa realizada em plena pandemia, que os moradores de Rio Preto chamaram de ‘forró da morte’, teve o apoio oficial da Prefeitura, Secretaria Municipal de Saúde e da Secretaria Municipal de Turismo, conforme mostra o cartaz do evento.

 

Os casos confirmados de covid-19 em Rio Preto da Eva chegaram a 834. Já são 15 mortes pela doença no município.

Prefeito Anderson Sousa, ao lado da primeira-dama, o vice Neto do Baixo Rio, Osvaldo do Alto Rio e o cantor Berg Guerra (Foto: Redes Sociais)

Sobe Catracas

ARLINDO NETO, cantor

Estreou em grande estilo, em apresentação solo, seguindo legado do pai

Desce Catracas

DELEGADO PABLO OLIVA, deputado federal

Investigado por usar mãe e irmão como laranjas em suposto esquema de corrupção