Sexta, 14 de agosto de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 28/07/2020

Em um mês, complexo viário da Constantino Nery reflete melhorias no trânsito e transporte

Sete semáforos foram desativados e tempo de viagem do transporte coletivo foi reduzido, devido retorno da faixa azul

Em um mês, complexo viário da Constantino Nery reflete melhorias no trânsito e transporte Complexo viário da Constantino Nery (Foto: Marcio James / Semcom)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - A maior obra de mobilidade urbana já realizada pela Prefeitura de Manaus, o complexo viário Ministro Robertos Campos, na avenida Constantino Nery, inaugurado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto, completa um mês de funcionamento nesta quarta-feira (29/7). A obra apresenta melhorias no trânsito da área, provocada pela desativação de sete semáforos e a redução no tempo das viagens do transporte coletivo, principalmente com o retorno da faixa exclusiva para ônibus.

 

O complexo contempla a interligação das zonas Centro-Sul e Oeste, por meio de duas novas pistas subterrâneas e é composto por uma estação de transferência, que funciona como um miniterminal, proporcionando ao passageiro fazer conexão com diversas linhas de ônibus da cidade, pagando apenas uma tarifa por sentido.

 

“Isso é um processo gradativo e as pessoas vão aos poucos se acostumando com a mudança. O ideal é usar a estação São Jorge, para ganhar tempo para o seu deslocamento. Quem antes tinha que ir até o Terminal de Integração 1, o T1, agora pode fazer a mudança na estação. Mais adiante nós iremos trazer outras linhas de ônibus e eu espero que a população continue usando bastante este espaço”, afirmou o vice-presidente do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), Pedro Carvalho.

 

Totalmente fechada, para garantir o controle na entrada e saída do usuário, além de maior segurança, a estação tem sistema de monitoramento por câmeras e fiscais por todo o espaço. Para a diarista Ezelina Farias, 43, a nova estrutura está aprovada. “Além de bonita, está muito segura e eu consigo chegar em casa mais rápido, porque eu tenho várias opções de ônibus”, declarou.

 

O conferente de materiais Cristiano dos Santos, 25, também destacou a segurança do espaço como o ponto mais importante para os usuários. “Esse local nos deixa mais seguros, a gente pode mexer no celular tranquilo. Como ele é todo fechado, só ficam os passageiros por aqui”.

 

A estação de transferência São Jorge faz parte de uma sequência de outras três estações com a mesma dinâmica, que estarão situadas no perímetro do corredor Sul/Norte, entre os terminais de integração 1 (Constantino Nery) e 3 (Cidade Nova). Serão as estações de transferência Arena, Santos Dumont e Parque das Nações.

 

A manicure Kátia Núbia, 32, destacou que, após a inauguração do complexo viário, já conseguiu reduzir em mais de uma hora o tempo de deslocamento que fazia de casa para o trabalho. “Facilitou muito. Antes eu precisava sair mais cedo porque tinha que ir para os terminais. Agora eu não preciso mais”, afirmou.

 

Segundo Pedro Carvalho, a ideia é usar os articulados e a faixa exclusiva, para facilitar a viagem dos usuários do transporte coletivo. “Hoje, nesta estação, se leva bem menos tempo para chegar ao Centro do que esperando um ônibus, dentro do bairro, que vá direto. À medida que uma cidade vai crescendo é preciso se trabalhar essa integração, até para poder oferecer uma tarifa mais acessível. A tarifa de Manaus, hoje, é uma das mais baratas do país, porque esse tipo de projeto também traz economia para o sistema”, concluiu Pedro Carvalho.

Sobe Catracas

ARLINDO NETO, cantor

Estreou em grande estilo, em apresentação solo, seguindo legado do pai

Desce Catracas

DELEGADO PABLO OLIVA, deputado federal

Investigado por usar mãe e irmão como laranjas em suposto esquema de corrupção