Domingo, 12 de julho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 30/06/2020

Escola de Contas do TCE-AM anuncia novo curso sobre Receitas Públicas

O curso inicia na próxima sexta-feira (03/07), às 15h.

Escola de Contas do TCE-AM anuncia novo curso sobre Receitas Públicas Escola de Contas do TCE-AM anuncia novo curso sobre Receitas Públicas (Foto: Divulgação TCE-AM)

DEAMAZÔNIA AMAZONAS, AM- A Escola de Contas Públicas (ECP) do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) anunciou a realização do curso “Receitas públicas e suas inovações trazidas pelo novo regime fiscal extraordinário”.

 

O curso irá ocorrer na próxima sexta-feira (3/7), às 15h. A ECP também antecipou o curso “Responsabilidade dos Agentes Públicos”, que será dividida em duas aulas, quarta-feira (1º/7) e quinta-feira (2/7).



As inscrições para cada aula estão abertas, e podem ser feitas por meio do link  https://moodle.tce.am.gov.br/. Após realizadas as aulas, a ECP disponibilizará certificados para todos os participantes.

O curso de capacitação com a temática “Responsabilidade dos Agentes Públicos”, que já havia sido anunciado pela ECP, será ministrado pelo professor Guilherme Barreiros, pós-graduado em direito público com ênfase na gestão pública. Guilherme é instrutor na Escola de Serviço Público Municipal de Manaus e servidor do TCE-AM.



A nova aula anunciada pela ECP, “Receitas Públicas e suas inovações trazidas pelo novo regime fiscal extraordinário”, busca dar continuidade às qualificações planejadas no cronograma da Escola de Contas, coordenada pela conselheira Yara Lins dos Santos.



O curso será dirigido pelo professor Júlio Viana, auditor técnico do TCE-AM e pós-graduado em auditoria fiscal e tributária, e terá como debate principal a Emenda Constitucional 106/2020 e a Lei Complementar 173/2020.

 

Sobe Catracas

WILSON JÚNIOR, bailarino e coreógrafo

Amazonense leva para o Brasil a cultura do estado com projeto de oficinas de danças afro-americanas e boi-bumbá

Desce Catracas

HERIVÂNEO VIEIRA, prefeito de Humaitá

MP/AM denunciou ele na Justiça por usar páginas oficiais da Prefeitura para fazer propaganda pessoal