Sexta, 10 de julho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 29/06/2020

Mais de 70 farmácias do Amazonas já aderiram à campanha 'Sinal Vermelho para a Violência Doméstica'

Por meio de campanha nacional, mulheres vítimas de violência podem buscar ajuda em farmácias, mostrando desenho de um "X" na mão

Mais de 70 farmácias do Amazonas já aderiram à campanha 'Sinal Vermelho para a Violência Doméstica' Setenta e três farmácias do Amazonas já aderiram à campanha "Sinal Vermelho para a Violência Doméstica"

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Ao todo, 73 farmácias e drogarias que funcionam no Amazonas já aderiram à campanha "Sinal Vermelho para a Violência Doméstica", de iniciativa da Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e de órgãos parceiros, entre os quais o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e o Conselho Regional de Farmácia (CRF-AM).

 

Lançada nacionalmente no último dia 10 de junho, por meio da campanha, estabelecimentos farmacêuticos podem ser procurados por vítimas de violência que precisam de auxílio, bastando à vítima apresentar o símbolo da letra "X" em uma das mãos para que o atendente ou farmacêutico acione uma autoridade policial para lhe prestar o devido auxílio.

 

O balanço com o número de estabelecimentos que já aderiram à campanha no Estado foi divulgado neste domingo pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), por meio da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar.

 

Entre os 73 estabelecimentos que fizeram a adesão, estão as Drogarias Santo Remédio (com 46 unidades na capital); as Drogarias Pague Menos (com 19 unidades em Manaus, 1 em Manacapuru, 1 em Itacoatiara e 1 em Parintins); as Drogarias Riachão (4 unidades em Manaus) e a Drogaria Pharmamed (1 unidade em Manaus).

 

À frente da Coordenadoria Estadual da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar, a desembargadora Carla Reis - que nesta semana assumirá a vice-presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) - destacou a iniciativa dos proprietários e administradores das farmácias que já aderiram à causa e comentou que a mobilização é de fundamental importância.

 

"Queremos destacar o apoio destes 73 estabelecimentos que, no Amazonas, compreenderam a importância desta mobilização nacional e aproveitamos este momento para mencionar o quão importante, neste período de pandemia, é a adesão à causa, pois, assim fazendo, as farmácias prestam um enorme serviço à sociedade, às famílias e às inúmeras mulheres vítimas de violência doméstica", comentou a desembargadora.

 

O presidente do Conselho Regional de Farmácia do Amazonas (CRF-AM), Jardel Inácio, citou que o órgão tem estimulado a participação dos grupos empresariais, e mencionou que a adesão à campanha é um compromisso social.

 

“A violência contra a mulher é das coisas mais covardes que existem na sociedade. Um dos crimes que mais revolta qualquer pessoa que tenha seus valores cidadãos. É um dever social de todos e de todas combater este tipo de atitude, e por isso acreditamos que os profissionais farmacêuticos podem auxiliar nesta importante missão. Participar desta campanha é um ato cidadão e que vai ajudar a salvar mulheres que passam por esta situação em suas casas e, muitas vezes, não sabem a quem recorrer por medo”, afirmou o presidente do CRF-AM.

 

Para aderir à campanha, basta o empresário/farmacêutico acessar o endereço eletrônico: https://www.amb.com.br/sinalvermelho, no qual constam todas as instruções necessárias.

Sobe Catracas

WILSON JÚNIOR, bailarino e coreógrafo

Amazonense leva para o Brasil a cultura do estado com projeto de oficinas de danças afro-americanas e boi-bumbá

Desce Catracas

ADAIL FILHO, prefeito de Coari

Afroxou medidas de prevenção a Covid-19 e Coari é o município do interior do Amazonas mais infectado, com o dobro de casos de Manacapuru