Sexta, 29 de maio de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 22/05/2020

Prefeito de Nova Olinda constrói cemitério em área alagadiça e próxima de poços artesianos

Urgência para enterrar mortos por covid-19; cemitério é uma das grandes obras do prefeito

Prefeito de Nova Olinda constrói cemitério em área alagadiça e próxima de poços artesianos Nova Olinda do Norte (imagem aérea)

DEAMAZÔNIA NOVA OLINDA DO NORTE, AM - O prefeito de Nova Olinda (a 138 quilômetros de Manaus), Adenilson Reis, mandou construir um novo cemitério na cidade para enterrar os mortos por coronavírus. O antigo cemitério está sem espaço para novos enterros. Nova Olinda tem 62 casos confirmados e 3 mortes por covid-19.

 

Porém, há uma polêmica sobre a escolha do local. O terreno era um leito de igarapé, segundo moradores, é até hoje é alagadiço e fica próximo de poços artesianos.

 

Moradores relataram que aproveitando-se da pandemia, o prefeito não precisou obter licença de órgãos ambientais para instalar o novo cemitério. 

 A Câmara aprovou o novo terreno para construir o cemitério, em dezembro de 2019. O prefeito de Nova Olinda do Norte planeja construir o novo cemitério da cidade desde 2017.

 

“Dos grandes problemas herdados por esta administração: a superlotação do cemitério municipal é uma delas. Este é mais um dos problemas que herdamos para resolver”, afirmou o prefeito Adenilson Reis, numa postagem,  no final do ano passado.

 

Mas, Adenilson Reis foi alvo de críticas, por estar no seu terceiro mandato de prefeito. “Essa administração herdou esse problema da própria administração atual. Lembrando que você já está há 11 anos comandando Nova Olinda. Conta outra!”, disse o morador Elton Miranda.

  

Sobe Catracas

PAULO BARRUDADA, empresário

Fez parceria com a Hemopa, oferecendo diárias grátis em hotel, a doadores de sangue de Santarém, visando incentivar aumento de bolsas

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru

Afrouxou em medidas restritivas e não decretou lockdown, mesmo cidade tendo mais de 2 mil casos de covid-19 e 84 mortes.