Sexta, 29 de maio de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 20/05/2020

Pressão de Bolsonaro para uso da cloroquina é crime de responsabilidade, diz Estadão

“Jair Bolsonaro utiliza-se do cargo para causar dano à saúde da população, em escancarado exercício abusivo do poder”, diz Editoral desta quarta (20)

Pressão de Bolsonaro para uso da cloroquina é crime de responsabilidade, diz Estadão Presidente Bolsonaro pressiona Ministério da Saúde recomende o uso da cloroquina, mesmo sem evidências científicas (foto: Youtube/Reprodução)

BRASÍLIA - Ao receitar o uso indiscriminado de cloroquina contra o novo coronavírus, Jair Bolsonaro está cometendo um crime de responsabilidade. O Editorial diz que o presidente utiliza o cargo para causar dano a saúde pública colocando em risco a vida de milhares de pessoas.

 

Diz o editorial do Estadão:

 

“A pressão do presidente Jair Bolsonaro para que o Ministério da Saúde altere, contra as evidências e estudos médicos, o uso da cloroquina em pacientes com covid-19 é uma patente violação do direito à saúde, tal como previsto na Constituição de 1988.

 

A manobra do presidente é manifestamente perversa, por insistir numa medida com graves riscos para a saúde da população. Nada mais nada menos, Jair Bolsonaro quer que o Ministério da Saúde atue em sentido contrário ao que preconiza a medicina (…).

 

Não há racionalidade e tampouco moderação em um governo no qual o presidente da República tenta obrigar o Ministério da Saúde a emitir uma orientação que inequivocamente coloca em risco a saúde da população. É o poder direcionado a causar dano, e isso é crime.”

Sobe Catracas

PAULO BARRUDADA, empresário

Fez parceria com a Hemopa, oferecendo diárias grátis em hotel, a doadores de sangue de Santarém, visando incentivar aumento de bolsas

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru

Afrouxou em medidas restritivas e não decretou lockdown, mesmo cidade tendo mais de 2 mil casos de covid-19 e 84 mortes.