Segunda, 23 de novembro de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 20/05/2020

Pressão de Bolsonaro para uso da cloroquina é crime de responsabilidade, diz Estadão

“Jair Bolsonaro utiliza-se do cargo para causar dano à saúde da população, em escancarado exercício abusivo do poder”, diz Editoral desta quarta (20)

Pressão de Bolsonaro para uso da cloroquina é crime de responsabilidade, diz Estadão Presidente Bolsonaro pressiona Ministério da Saúde recomende o uso da cloroquina, mesmo sem evidências científicas (foto: Youtube/Reprodução)

BRASÍLIA - Ao receitar o uso indiscriminado de cloroquina contra o novo coronavírus, Jair Bolsonaro está cometendo um crime de responsabilidade. O Editorial diz que o presidente utiliza o cargo para causar dano a saúde pública colocando em risco a vida de milhares de pessoas.

 

Diz o editorial do Estadão:

 

“A pressão do presidente Jair Bolsonaro para que o Ministério da Saúde altere, contra as evidências e estudos médicos, o uso da cloroquina em pacientes com covid-19 é uma patente violação do direito à saúde, tal como previsto na Constituição de 1988.

 

A manobra do presidente é manifestamente perversa, por insistir numa medida com graves riscos para a saúde da população. Nada mais nada menos, Jair Bolsonaro quer que o Ministério da Saúde atue em sentido contrário ao que preconiza a medicina (…).

 

Não há racionalidade e tampouco moderação em um governo no qual o presidente da República tenta obrigar o Ministério da Saúde a emitir uma orientação que inequivocamente coloca em risco a saúde da população. É o poder direcionado a causar dano, e isso é crime.”

Sobe Catracas

ERLON ROCHA, vereador eleito de Santarém

Empresário do ramo naval foi o vereador mais votado, em Santarém (PA), obtendo 4.397 mil votos.

Desce Catracas

ELIANA AMORIM, prefeita de Pauini

Mesmo proibido pela Lei Eleitoral, prefeita inicia demissão em massa de funcionários, em retaliação, após derrota na eleição