Sexta, 29 de maio de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 12/05/2020

Em reunião, Bolsonaro disse a Moro que troca na PF do Rio era necessária para proteger sua família

Repórter da GloboNews, Andréia Sadi, afirmou que, de acordo com suas fontes o vídeo da reunião “é, de fato, devastador”

Em reunião, Bolsonaro disse a Moro que troca na PF do Rio era necessária para proteger sua família Em reunião, Bolsonaro disse a Moro que troca na PF do Rio era necessária para proteger sua família (Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil)

Em reunião ministerial do dia 22 de abril, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria dito ao então ministro da Justiça, Sergio Moro, que a troca no comando da superintendência da Polícia Federal do Rio de Janeiro seria necessária para proteger a família, de acordo com informações de Daniel Adjuto, da CNN.

 

O vídeo desse encontro é uma das evidências do inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) após Sergio Moro deixar o ministério da Justiça acusando Bolsonaro de tentar interferir na Polícia Federal. A sequência foi exibida nesta terça-feira (12) em Brasília a pessoas envolvidas com a investigação.

 

Segundo Adjuto, duas fontes que assistiram a gravação da reunião afirmam que Bolsonaro deixou evidente o interesse de proteger a família de uma possível perseguição da PF do RJ. Eles dizem ainda que a nova evidência complicará, e muito, a defesa de Bolsonaro.

 

A repórter da GloboNews, Andréia Sadi, afirmou nesta terça-feira (12) que, de acordo com suas fontes no Palácio do Planalto, o vídeo da reunião “é, de fato, devastador”. “A grande discussão agora é se ele vai ser divulgado. Mesmo que seja divulgado só o trecho que o Aras pediu, já é complicado”, diz a jornalista. 

 

Na reunião, Bolsonaro – que apresentava um tom de irritação e mau humor, e teria até citado palavrões – trata a superintendência da PF do Rio com o termo “segurança”, e afirma que não iria esperar sua família ser prejudicada.

 

Sobe Catracas

PAULO BARRUDADA, empresário

Fez parceria com a Hemopa, oferecendo diárias grátis em hotel, a doadores de sangue de Santarém, visando incentivar aumento de bolsas

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru

Afrouxou em medidas restritivas e não decretou lockdown, mesmo cidade tendo mais de 2 mil casos de covid-19 e 84 mortes.