DeAmazônia

MENU
Atualizado em 23/03/2020

'Primeiro a gente salva as pessoas, depois a economia', diz Lula

Ex-presidente gravou vídeo e criticou auxílio de R$ 200, do governo federal, para trabalhadores informais, por causa do covid-19

'Primeiro a gente salva as pessoas, depois a economia', diz Lula Ex presidente Lula

DEAMAZÔNIA BRASÍLIA - O ex-presidente Lula reapareceu nesta segunda-feira (23), em um vídeo, postado em sua página oficial. Lula voltou a criticar o auxílio de R$ 200 que o governo Bolsonaro anunciou para os trabalhadores informais. O ex-presidente disse que o ideal seria pagar um salário para os mais vulneráveis.  

 

Lula disse que essa atitude mostra a diferença entre um Estado forte e um estado fraco.

    

“O Estado forte é aquele que quando o povo precisa, quando o pais mais precisa, o estado pode atender as necessidades do pais. Estado forte é o que faz os americanos anunciando que vai dar mil dólares, por mês, para cada americano [ ficar em casa], o equivalente a R$ 5 mil dólares. Aqui no Brasil, nós estamos reivindicando que o governo dê pelo menos um salário mínimo, para as pessoas”, afirmou Lula.

 

No vídeo, Lula criticou as privatizações e os benefícios do governo Bolsonaro aos empresários.

 

“Quem tem que cuidar do povo mais necessitado é o Estado. Durante, o processo desta crise [ do coronavíros] não vai aparecer um empresário dizendo: eu vou abrir mão dos meus lucros para cuidar do povo pobre. Vamos ver se vai aparecer. Quem vai aparecer é o Estado. Se o governo tiver competência e coragem de fazer”, assinalou o ex-presidente.

 

Na quinta-feira (19), da semana passada, Lula havia criticado a demora de Bolsonaro de fechar fronteiras e de combater com rigor a pandemia no Brasil. Em vez de agir, Bolsonaro criticou os governadores por medidas protetivas e os chamou de  ‘exterminadores de empregos’.

 

Em uma live, Lula reagiu: "depois que a gente salvar o povo, a gente discute como salvar a economia”.

Sobe Catracas

FRAN CANTO, empresário parintinense

Capacete de oxigenação, fabricado pela gráfica dele, para pacientes com dificuldade respiratória, foi aprovado por médicos, por eficácia e economia

Desce Catracas

RODRIGO DE SÁ, diretor-presidente do Detran/AM

Detran/AM reajustou taxas de serviços em plena crise do coronavírus, mas suspendeu medida e alegou que "situação passou despercebida"