Terça, 02 de junho de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 03/03/2020

Anna Karoline 3 não tinha autorização para fazer viagem de Santana a Santarém, diz Antaq

Tudo irregular: sem lista de passageiros, sem documento para fazer viagens e excesso de cargas; veja VÍDEO do local exato do naufrágio

Anna Karoline 3 não tinha autorização para fazer viagem de Santana a Santarém, diz Antaq Corpo de Bombeiros e mergulhadores tentam localizar desaparecidos do naufrágio do Anna Karoline 3 ( divulgação)

DEMAZÔNIA SANTARÉM, PA - O Navio Anna Karoline 3, que naufragou no sábado (29), no Rio Jari, afluente do Rio Amazonas, no Sul do Amapá, não tinha autorização para trafegar de Santana (AP) a Santarém (PA), conforme era o destino da embarcação. Foi o que constatou a Agência Nacional de Transportes Aquaviários (Antaq). É o que informa o G1.

 

 A Antag abriu investigação para apurar as causas do naufrágio, mas já sabe que o Anna Karoline 3, pertencente a empresa Erlon Rocha Transportes Ltda (Erlonav), tem autorização somente para operar no trecho entre Santarém a Manaus, no Amazonas.

 

Dois agentes foram enviados pela Antaq a Santana para a acompanhar o caso, segundo o G1. O Portal deAMAZÔNIA apurou que os Governos do Amapá e do Pará montaram estrutura de resgate e assistência social no local do naufrágio, para atender as vítimas.

 

A Antaq é o órgão responsável  pela regulamentação controle, estudo e desenvolvimento do transporte fluvial brasileiro.  

 

Em Nota, o grupo Erlonav esclarece que o Anna Karoline 3 estava alugado para terceiros. “Esclarecemos que a embarcação estava alugada para o senhor Paulo Márcio Simões Queiroz, o qual tem total responsabilidade pelo ocorrido na data de hoje 29/02/2020, conforme contrato de locação devidamente firmada entre as partes”, diz a nota.

 

No segundo boletim divulgado pelo governo do Amapá, na noite de segunda-feira (02/03),informa que já foram resgatados 46 sobreviventes, 18 corpos localizados e 12 passageiros continuam desaparecidos. O que dá um total de 86 pessoas. O barco foi completamente ao fundo.

 

O comandante da embarcação, de nome não revelado, informou a Marinha que havia 60 passageiros na viagem e que um temporal teria sido a principal causa do naufrágio.

 

Porém, vídeos gravados por passageiros, antes da partida do barco do porto de Santana, mostram o Anna Karoline 3 com grande quantidade de cargas e com água entrando na embarcação.

 

Também não se sabe o motivo pelo qual a Capitania dos Portos de Santana deixou o Anna Karoline 3 seguir viagem sem lista de passageiros, sem outorga de autorização para fazer linha neste trecho do sinistro e ainda com carga ,supostamente, em excesso. 

VÍDEO

ESTRUTURA DE RESGATE

A estrutura conta com cinco aeronaves, dentre os pais um helicóptero de grande porte da Marinha do Brasil. Duas embarcações também dão suporte: uma do Corpo de Bombeiros do Amapá e outra da Marinha. Mais de 50 militares trabalham na operação, incluindo policiais militares do Amapá e Pará, Marinha e Corpo de Bombeiros dos dois estados. Entre o efetivo estão 18 mergulhadores, nove do Corpo de Bombeiros do Amapá e 9 do estado do Pará.

Sobe Catracas

MARIA OLIVEIRA, prefeita de Ipixuna (AM)

Desde o inicío da pandemia, adotou 'hotel de quarentena' e barreiras sanitárias, e município segue sem casos confirmados de Covid-19

Desce Catracas

BETO NICOLAU, presidente da Samel

Após gesto de grandeza por tratar artistas em seu hospital Samel, apequenou-se em cobranças pessoais em Parintins