Sexta, 29 de maio de 2020

DeAmazônia

MENU
Atualizado em 02/03/2020

Naufrágio no Sul Amapá deixa 13 mortos e pelo menos 20 desaparecidos; veja lista

46 passageiros foram resgatados com vida; Corpo de Bombeiros e Capitania dos Portos seguem com as buscas nesta segunda (2)

Naufrágio no Sul Amapá deixa 13 mortos e pelo menos 20 desaparecidos; veja lista Governo do Amapá monta Centro de Apoio às vítimas (Foto: Márcio Pinheiro/ Centro de Apoio e Acolhimento foi montado no quartel do Corpo de Bombeiro de Santana)

DEAMAZÔNIA AMAPÁ - Pelo menos 20 passageiros que viajavam no Navio Anna Karoline, que naufragou na madrugada de sábado (29/2), por volta de 5h, quando navegava no trecho Santana (AP)/Santarém (PA), continuam desaparecidos.

 

Com a retomada de buscas neste domingo (1º/3), 13 mortes foram confirmadas. Ao todo, 46 pessoas, entre passageiros e tripulantes, foram resgatadas com vida. (Veja ao final da matéria lista das pessoas que seguem desaparecidas, divulgada por familiares).

 

Segundo o coronel do Corpo de Bombeiros Janary Picanço, o barco não possuía lista oficial de passageiros. Portanto, o número de desaparecidos ainda não é exato.

 

As buscas feitas pela Capitania dos Portos e pelo Corpo de Bombeiros do Amapá foram reiniciadas na manhã desta segunda-feira (2/3). O acidente ocorreu perto do município de Laranjal do Jari, sul do Amapá, em um local remoto, o que dificulta a logística das buscas.

 

De acordo com o Governo do Amapá, dos 13 corpos localizados, três foram encontrados no sábado (29) e dez neste domingo (1º).

 

O resgate é feito em conjunto pelos governos estaduais do Pará e do Amapá, que enviaram 18 mergulhadores, além de médicos e aeronaves.

 

VEJA LISTA DE PESSOAS QUE SEGUEM DESAPARECIDAS:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sobe Catracas

PAULO BARRUDADA, empresário

Fez parceria com a Hemopa, oferecendo diárias grátis em hotel, a doadores de sangue de Santarém, visando incentivar aumento de bolsas

Desce Catracas

BETO D'ÂNGELO, prefeito de Manacapuru

Afrouxou em medidas restritivas e não decretou lockdown, mesmo cidade tendo mais de 2 mil casos de covid-19 e 84 mortes.