DeAmazônia

MENU
Atualizado em 23/02/2020

Ex-vereador propõe que bumbás façam show no Teatro Amazonas em defesa da ZFM

Decreto de Bolsonaro ameaça fechamento do Polo de Concentrados, onde estão as fábricas da Coca-Cola e Ambev

Ex-vereador propõe que bumbás façam show no Teatro Amazonas em defesa da ZFM Jender Lobato, presidente do boi Caprichoso e Fábio Cardoso, presidente do boi Garantido

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O ex-vereador de Parintins, Juliano Petro Velho, propôs que o presidente do Garantido, advogado Fábio Cardoso e o presidente do Caprichoso, advogado Jender Lobato [que passam o carnaval no Rio de Janeiro], organizem no retorno ao Estado, um show dos bumbás em frente ao Teatro Amazonas em defesa da Zona Franca de Manaus.

 

“Atenção presidentes de Garantido e Caprichoso uma sugestão: vocês precisam fazer um show de APELO a Equipe Econômica do presidente Jair Bolsonaro para que eles preservem os Incentivos Fiscais da Zona Franca de Manaus, em especial ao Polo de Concentrados. Porque se a Coca Cola sair do Amazonas afetará diretamente o Festival de Parintins. Ela (Coca Cola) está há  25 anos patrocinando a nossa festa, melhor dizer a Identidade Cultural do Estado”, escreveu o ex vereador, usando a hasteg fica a dica, na postagem em sua página.

 

Juliano Petro Velho é humorista e também já atuou no Festival de Parintins no personagem de mãe Catirina do boi Caprichoso. O ex parlamentar foi ainda um dos apoiadores da campanha que elegeu Jender e Karu Carvalho, presidente e vice, respectivamente do boi azul e branco, no final do ano passado.

 

Até agora, mesmo contra sucessivos ataques do governo Bolsonaro contra a Zona Franca, Jender e Fábio não emitiram nenhum posicionamento sobre a ameaça de fechamento do Polo de Concentrados, onde estão instaladas as fábricas da Coca-Cola Brasil e Ambev.

 

A Coca Cola, por exemplo, é patrocinadora oficial do Festival de Parintins há 25 anos. A participação da multinacional na festa dos bois impulsionou o evento país a fora.

LEIA TAMBÉM______

Bumbás de Parintins se calam com golpe de morte de Bolsonaro contra Polo de Refrigerantes

  

Atualmente, a alíquota do incentivos fiscais para o Polo de Refrigerantes é de 4% e em novo decreto Bolsonaro fixou em 8%, por cinco meses. Ou seja, o projeto do governo é para acabar com a Zona Franca. Só o Polo de Concentrados assegura 15 mil empregos no Polo Industrial de Manaus.    

 

Caprichoso e Garantido, as maiores expressões culturais do Amazonas, também não se manifestaram quando  Bolsonaro extinguiu o Ministério da Cultura. Os dois presidente também se calam contra os fulminantes ataques do governo federal feitos a Amazônia e aos povos indígenas. 

 

Os bois de Parintins pregam em seus temas a defesa da floresta e dos povos indígenas.

 

Sobe Catracas

NATHÁLIA FARIA, karateca amazonense

Do topo do ranking nacional de karatê, atleta chega à seleção brasileira da categoria de base pela terceira vez

Desce Catracas

ADONEI AGUIAR, prefeito de Curinópolis (PA)

Afastado do cargo por acusação de integrar esquema criminoso, STF negou pedido dele para retornar ao cargo