DeAmazônia

MENU
Atualizado em 21/02/2020

Bumbás de Parintins se calam com golpe de morte de Bolsonaro contra Polo de Refrigerantes

Coca-Cola é patrocinadora oficial do Festival de Parintins há 25 anos

Bumbás de Parintins se calam com golpe de morte de Bolsonaro contra Polo de Refrigerantes Presidente do Garantido, Fábio Cardoso e o presidente do Caprichoso, Jender Lobato

DEAMAZÔNIA PARINTINS, AM - O presidente do boi Caprichoso, Jender Lobato e o presidente do boi Garantido, Fábio Cardoso não se manifestaram, até agora, sobre o decreto de morte que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) impôs contra o Polo de Refrigerantes da Zona Franca de Manaus, onde estão instaladas as fábricas da Coca-Cola Brasil e Ambev. (Veja o decreto)

 

A multinacional Coca-Cola é patrocinadora oficial do Festival Folclórico de Parintins há 25 anos.

 

Atualmente, a alíquota do Imposto de Produtos Industrializados (IPI) é de 4% e em novo decreto publicado hoje (21/02) Bolsonaro fixou o incentivo em 8%, por apenas cinco meses.  

 

Sem incentivos fiscais empresas como Coca-Cola e Ambev, poderão deixar o Polo Industrial, assim como já aconteceu com a Pepsi Cola, e consequentemente, os bumbás perderão suas cotas de patrocínio para o Festival de Parintins (cidade distante a 325 quilômetros de Manaus).

 

A bancada amazonense no Congresso alerta que esse percentual provoca instabilidade jurídica para as empresas, e desse modo, resulta no fechamento das fábricas, com demissão de milhares de empregos, em Manaus.

 

Fábio Cardoso e Jender Lobato também não se manifestaram quando o presidente Bolsonaro extinguiu o Ministério da Cultura e também não emitiram nenhuma Nota a respeito dos constantes ataques feitos a Amazônia e as tribos indígenas.

 

Garantido e Caprichoso pregam em seus temas a defesa da floresta e dos povos indígenas.   

Sobe Catracas

NATHÁLIA FARIA, karateca amazonense

Do topo do ranking nacional de karatê, atleta chega à seleção brasileira da categoria de base pela terceira vez

Desce Catracas

ADONEI AGUIAR, prefeito de Curinópolis (PA)

Afastado do cargo por acusação de integrar esquema criminoso, STF negou pedido dele para retornar ao cargo