DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/02/2020

Lula e o Papa Francisco falam sobre desigualdade social e meio ambiente

No Vaticano, Papa Francisco abençoou o ex-presidente

Lula e o Papa Francisco falam sobre desigualdade social e meio ambiente  Lula se encontra com Papa Francisco, no Vaticano

BRASÍLIA - Depois de 580 dias como preso político no Brasil, o ex-presidente Lula reuniu-se no Vaticano com o Papa Francisco, que o recebeu para discutir soluções contra a crescente desigualdade no mundo. 

 

O encontro, na tarde desta quinta-deira (13), prolongou-se por mais de uma hora. O tema da desigualdade foi o principal assunto da reunião. Lula entregou ao Papa um exemplar do livro "Lula e a Espiritualidade: oração, meditação e miitância", das editoras 247 e Kotter Editorial.

 

Lula disse estar "muito satisfeito" com a conversa com o pontífice, que segundo ele foi focada na desigualdade social e na política ambiental."A minha visita teve como objetivo principal discutir com o Papa Francisco a questão da desigualdade e a questão da sua luta na defesa de uma boa política ambiental", disse Lula.

 

"Todo mundo sabe que o mundo está ficando mais desigual, que os trabalhadores estão perdendo direitos e que conquistas estão sendo derrubadas por interesses empresariais e financeiros", contextualizou o ex-presidente. 

 

O ex-presidente chegou a Roma nesta quarta-feira (12), acompanhado do ex-chanceler Celso Amorim e de um grupo pequeno de assessores. Ele aproveitou a viagem para se encontrar com lideranças políticas do país e falar sobre a conjuntura da política no Brasil.

 

Ele se reuniu com atual secretário-geral do Partido Democrático (um dos dois partidos que governa a Itália), Nicola Zingaretti, e o ex-primeiro-ministro italiano Massimo D’Alema, que havia visitado Lula no cárcere em Curitiba em setembro de 2018.

COM INFORMAÇÕES DO SITE BRASIL 247

Sobe Catracas

EMÍLIA FERRAZ, delegada de Polícia

Nomeada delegada geral da Polícia Civil do Amazonas, pelo governador, se torna primeira mulher a ocupar o cargo no estado

Desce Catracas

JAMILSON CARVALHO, prefeito de Anori (AM)

Juíza proibiu três escolas de samba da cidade de homenagear o prefeito, no Carnaval 2020, por caracterizar promoção pessoal, em ano eleitoral