DeAmazônia

MENU
Atualizado em 13/02/2020

Tony Medeiros poderá requerer mandato de Josué Neto, que saiu do PSD

2º suplente do PSD, vice-prefeito de Parintins, demonstrou interesse na vaga

Tony Medeiros poderá requerer mandato de Josué Neto, que saiu do PSD Tony Medeiros, vice-prefeito de Parintins ( folha de Parintins)

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O vice-prefeito de Parintins, Tony Medeiros (PSD) poderá requerer ao Tribunal Regional Eleitoral o mandato do deputado Josué Neto, presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), por infidelidade partidária. Josué foi 11º. deputado mais votado na eleição de 2018, pelo PSD, com 26.924 votos.

 

O deputado desfiliou-se da legenda, na segunda-feira (10), mas tentava sair do partido desde abril, do ano passado. 

 

Tony Medeiros é o segundo suplente da agremiação partidária. A primeira suplente do PSD é a ex-primeira dama do Estado, Nejmi Aziz, mas é provável que Nejmi não mova nenhuma ação para requerer a vaga do partido.

 

Porém, hoje (13/02), questionado sobre a vaga, o vice-prefeito de Parintins disse que se tiver esse direito ele ingressará com recurso para requerer a cadeira de deputado, do presidente da Aleam. 

 

“Vou consultar toda a questão jurídica do caso e se houver legalidade, sim, irei recorrer”, afirmou Tony Medeiros, ao Portal DeAMAZÔNIA.

 

O vice-prefeito falou também que vai procurar o presidente do PSD, no Amazonas, antes de tomar qualquer definição. "Antes de qualquer decisão, preciso ouvir o presidente estadual do meu partido, o senador Omar Aziz", completou.

 

Josué Neto está sem partido e tenta ingressar no Aliança Pelo Brasil, legenda que o presidente Jair Bolsonaro pretende criar. A saída do presidente da Aleam, do PSD, foi após uma reunião com o senador Omar.  

DEAMAZONIA.COM.BR

Sobe Catracas

NATHÁLIA FARIA, karateca amazonense

Do topo do ranking nacional de karatê, atleta chega à seleção brasileira da categoria de base pela terceira vez

Desce Catracas

ADONEI AGUIAR, prefeito de Curinópolis (PA)

Afastado do cargo por acusação de integrar esquema criminoso, STF negou pedido dele para retornar ao cargo