DeAmazônia

MENU
Atualizado em 06/02/2020

Após criar Secretaria da Amazônia, Bolsonaro decreta autorização de garimpo em terras indígenas

Presidente debochou ambientalistas e exaltou governos da ditadura: ‘nunca é tarde para ser feliz, 30 anos depois'

Após criar Secretaria da Amazônia, Bolsonaro decreta autorização de garimpo em terras indígenas Presidente Jair Bolsonaro conversa com indígena ( . Foto: Antônio Cruz)_

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta quarta-feira (06/02), projeto que visa regulamentar a exploração mineral e energética em terras indígenas, informa o jornal Folha de São Paulo. A decisão do presidente ocorre poucas semanas depois de Bolsonaro anunciar a criação da Secretaria da Amazônia e do Conselho da Amazônia, após ser cobrado em Davos, como alternativa de preservar a floresta.

 

Se não bastasse a pressão mundial pedindo que o governo brasileiro implemente políticas públicas em defesa da Amazônia, Bolsonaro ainda debochou de ambientalistas, ao abrir a floresta para o garimpo, e voltou a fazer declarações preconceituosas contra as nações indígenas.

 

“Vamos sofrer pressões ambientalistas? Ah, esse pessoal do meio ambiente, né. Se um dia eu puder, eu confino-os na Amazônia, já que eles gostam tanto do meio ambiente. E deixe de atrapalhar os amazônidas daqui de dentro das áreas urbanas”, afirma Bolsonaro. 

 

“Nunca e tarde para ser feliz, 30 anos depois. Espero que este sonho pela mãos do Bento [Albuquerque, ministro de Minas e Energia] e pelos votos dos parlamentares se concretize porque o índio é um ser humano exatamente igual a nós. [O indígena] em coração, sentimento, tem alma e tem necessidade e tem desejos e é tão brasileiro quanto nós”, disse Bolsonaro.

 

Há declaração dos 30 anos, que o presidente se refere, nas estrelinhas é uma exaltação ao governo militar, época da ditatura, que durou até 1985, com a eleição de Tancredo Neves em que o vice José Sarney assumiu com sua morte. 5 anos depois em 1990, Fernando Collor foi o primeiro presidente eleito pelo voto direto ( diretas já, lembra?). Isto é há 30 anos.  

Segundo o Portal Uol, Pesquisa do DataFolha em dezembro de 20198, mostrou que a população brasileira não aprova mineração em terras indígenas.  

    

Ainda segundo a Folha, o ministro da Casa Civil comemorou e chamou o ato de ‘nova Lei Áurea’. “Pois hoje, presidente, com sua assinatura será a libertação, ou seja, nós teremos a partir de agora a autonomia dos povos indígenas e sua liberdade de escolha”, afirmou.

 

Segundo o Portal Uol, Pesquisa do DataFolha em dezembro de 20198, mostrou que a população brasileira não aprova mineração em terras indígenas.      

 

Também no mesmo dia Bolsonaro nomeou um evangélico para a presidência da Funai e autorizou ainda pescar esportiva em área de conservação ambiental. 

Sobe Catracas

FRAN CANTO, empresário parintinense

Capacete de oxigenação, fabricado pela gráfica dele, para pacientes com dificuldade respiratória, foi aprovado por médicos, por eficácia e economia

Desce Catracas

ROMEIRO MENDONÇA, prefeito de Presidente Figueiredo

Teve mandato cassado pelo TSE para se afastar do cargo, com o vice Mário Abrahão, imediatamente