DeAmazônia

MENU
Atualizado em 24/01/2020

Professores de Nhamundá reivindicam que prefeito pague reajuste de 12,84% do Fundeb

Sindicato dos professores reclama que há oito anos estão sem reajuste salarial

Professores de Nhamundá reivindicam que prefeito pague reajuste de 12,84% do Fundeb Protesto de professores em Nhamundá, em 2017 (Foto: Eldiney Alcântara)

DEAMAZÔNIA NHAMUNDÁ, AM - O Sindicato dos Profissionais em Educação de Nhamundá (SIMPEMN) reivindica que o prefeito Nenê Machado, pague, no ano letivo de 2020, o reajuste salarial de 12,84%, com data retroativa a 1º de janeiro, como prevê a Lei nº 11.738, do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb).

 

No dia 16 de janeiro, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reajustou o piso salarial dos profissionais da rede pública da educação em 12,84% para 2020, passando de R$ 2.557,74 para R$ 2.886,24.

 

De acordo com a entidade, em sete anos de administração do prefeito, os professores nunca receberam aumento salarial e há oito estão com os salários defasados.

 

O SIMPEMN encaminhou, no dia 21 de janeiro (terça-feira), ofício, ao secretário de Educação municipal Neto Carvalho, assinado pela presidente Eliana Duque de Souza, onde solicita o agendamento de uma data para discutir o reajuste salarial dos professores, em Audiência Pública, com a presença dos educadores.  

 

 “Por questão de isonomia devemos ter o nosso aumento salarial com retroatividade a 1º de janeiro de 2020. No mais este Sindicato está a disposição para conciliação que é peculiar da Diretoria e da categoria”, diz trecho do ofício, encaminhado ao secretário de Educação municipal.

 

Neto Carvalho trabalha nos bastidores para ser o candidato a vice na chapa de Mariana Pandolfo, que é a pré-candidata a prefeita de Nenê Machado.

Sobe Catracas

FLÁVIA MOTA, jogadora de futebol

De Manacapuru (AM), atleta foi convocada pela CBF para disputar pela Seleção Brasileira Sub-20, o Sul-Americano, na Argentina

Desce Catracas

JAMILSON CARVALHO, prefeito de Anori (AM)

Juíza proibiu três escolas de samba da cidade de homenagear o prefeito, no Carnaval 2020, por caracterizar promoção pessoal, em ano eleitoral