DeAmazônia

MENU
Atualizado em 14/01/2020

Cineasta promove curso gratuito sobre ‘documentário e ativismo’

As inscrições gratuitas para as 20 vagas ofertadas estão abertas até quarta-feira, 15, no Casarão de Ideias

Cineasta promove curso gratuito sobre ‘documentário e ativismo’ A atividade será ministrada das 14h às 17h pelo cineasta amazonense Aldemar Matias.

DEAMAZÔNIA MANAUS, AM - Comtemplado pelo edital de Conexões Culturais 2018 da Prefeitura de Manaus, a Formiga de Fogo Filmes promoverá, de 20 a 24 de janeiro, o curso “Documentário/Ativismo”, no Casarão de Ideias, na rua Barroso, 279, Centro. As inscrições gratuitas para as 20 vagas ofertadas estão abertas até quarta-feira, 15/1.

 

O curso tem como principal objetivo provocar a reflexão sobre a função política do cinema de não-ficção. A atividade será ministrada das 14h às 17h pelo cineasta amazonense Aldemar Matias. Em cada aula haverá a projeção de um documentário (integral ou parcial, dependendo da duração) devidamente escolhido e, em seguida, será proposto um debate aos participantes.

 

“Abordaremos sobre as possibilidades de atuar como cineasta e ativista ao mesmo tempo, limites entre o documentário como obra artística e peça de propaganda, o tipo de construção narrativa que alcança um público mais avesso ao discurso político do filme, transformações do ponto de vista do próprio cineasta ao assistir sua obra e outros questionamentos que serão analisados”, explicou Matias.

 

O curso tem carga horária total de 15 horas. As inscrições devem ser feitas por meio do preenchimento de um formulário on-line, disponível no link http://bit.ly/docativismo2020.

 

Podem participar estudantes e profissionais da área do audiovisual, ativistas da área de Organizações não Governamentais (ONGS) e o público em geral interessado no tema. Os selecionados serão divulgados no dia 16 de janeiro.

Sobe Catracas

DELISSA VIEIRALVES FERREIRA, promotora de Justiça

Ação Civil Pública, em conjunto com a promotora Nilda Silva, derrubou na Justiça decisão da Seduc de militarizar Escola Tiradentes, em Manaus

Desce Catracas

RAYLAN BARROSO, prefeito de Eirunepé

Foi cobrado pelo MPF para fazer processo seletivo, pagar funcionários indigenas e regularizar merenda escolar