DeAmazônia

MENU
Atualizado em 10/01/2020

Prefeito de Salvaterra (PA) vira alvo do MPPA por doações ilegais

Além de solicitar o bloqueio de bens de Valentim Lucas de Oliveira, a ação busca condenação por improbidade administrativa

Prefeito de Salvaterra (PA) vira alvo do MPPA por doações ilegais Prefeito de Salvaterra, Valentim Lucas (Carlos Sodré / Arquivo Escola de Governança Pública do Estado do Pará)

DEAMAZÔNIA SALVATERRA, PA - O Ministério Público do Estado do Pará (MPPA), por meio da Promotoria de Justiça de Salvaterra, ajuizou ação civil pública por improbidade administrativa contra o prefeito Valentim Lucas de Oliveira, atual gestor do município. A ação foi protocolada no dia 12 de dezembro pela promotora de justiça Paula Suely Camacho e visa condenar o atual prefeito por doações ilegais de patrimônio público do município a particulares.

 

Segundo a promotora Paula Camacho, tramitam  na promotoria local vários termos de doações, nos quais o atual gestor municipal doa a particulares diversas áreas e terrenos sem o menor amparo legal, ou sem qualquer subordinação à existência de interesse público devidamente justificado.

 

“Infere-se do procedimento incluso, que o administrador público municipal não observou o procedimento próprio para doação, infringindo, assim, os princípios da legalidade, da moralidade e da probidade administrativa e praticou ato de improbidade que resultou em prejuízo ao erário municipal”, ressalta a promotora de justiça Paula Camacho.

 

Na ação, o MPPA requer judicialmente o deferimento do pedido liminar de indisponibilidade de bens do prefeito Valetim Lucas de Oliveira, no valor máximo da multa prevista na lei de improbidade antes mesmo de ouvir o prefeito.

 

A ação também reivindica a anulação das doações feitas pelo atual gestor e solicita que este seja condenado por ato de improbidade administrativa. A Promotoria de Salvaterra pede também seja determinada a perda da função pública e suspensão dos direitos político por três a cinco anos, tendo ainda que pagar multa civil em valor seis vezes maior que sua atual remuneração.

Tags:

Sobe Catracas

CAROLINE BRAZ, secretária de Direitos Humanos do AM

Pela primeira vez, Amazonas aderiu a campanha nacional "Não é Não", contra o assédio, com ações por todo o estado no Carnaval 2020

Desce Catracas

VILSON GONÇALVES, prefeito de Aveiro (PA)

Virou alvo da Justiça em processo criminal acusado de recolher ICMS de mercadoria para exportação sem comprovar para Sefa saída do produto